nsc

publicidade

Livre Mercado

Loetz: Bolshoi Brasil começa ano com 100% de renovação dos patrocínios

Além disso, única filial no mundo da escola russa de balé conseguiu conquistar novos patrocinadores

18/02/2017 - 09h01

Compartilhe

Por Redação NSC

O Bolshoi Brasil começa o ano com perspectivas promissoras. Obteve a renovação de quase 100% dos antigos patrocinadores, como a BRF, Engie, Havan e Drogaria Catarinense. E conquistou novos, como Brascabos, Britânia, Philco, Caixa Econômica Federal, Martinelli, Porto de Imbituba, Bluestar, Meister e Unicred, além de pessoas físicas e empresas que prestam serviços voluntários.

Em 2016, os apoios vindos de iniciativa privada e pessoas físicas representaram 42% dos valores recebidos e 32% do orçamento geral da escola. O orçamento do Bolshoi, para este ano, é de R$ 8 milhões. Nestes primeiros 50 dias, captou R$ 900 mil. Virão mais recursos, claro. Só o governo estadual deverá entrar com mais de um terço do valor total. As atividades culturais lá desenvolvidas são importantes.

Indefensável

Na reunião desta sexta-feira com o ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, da Federação das Associações Empresariais de Santa Catarina (Facisc), entregou propostas de reforma trabalhista. Uma delas sugere que quando uma empresa comprar outra, seja admitido o pagamento de dívidas trabalhistas de forma parcelada.

Em sua fala para um público simpático às suas ideias, o ministro disse que espera aprovação da nova legislação já neste semestre. Nem um, nem outro ponto são razoáveis. Impor mais um período de carência a quem já teve seus direitos sociais usurpados é indefensável. E não há o menor clima político para um tema de tanta complexidade ser votado em curto prazo no Congresso superdividido por interesses conflitantes e repleto de políticos sob suspeições, por causa da Lava-jato.

Pós inédita

O Hospital de Olhos Sadalla Amin Ghanem terá, em Joinville, curso de pós-graduação em excelência operacional na área da saúde, promovido pela área de ensino do Hospital Israelita Albert Einstein, de São Paulo. O objetivo é aumentar a eficiência operacional, melhorar o gerenciamento dos processos e, consequentemente, garantir a qualidade dos serviços e a sustentabilidade do negócio.

Deixe seu comentário:

publicidade