nsc

publicidade

Notícia

Lula ressuscita em Santa Catarina rixa histórica entre PT e DEM

Declarações do presidente em Joinville ganharam repercussão nacional

15/09/2010 - 03h10

Compartilhe

Por Redação NSC
Lula participou de comício em Joinville com Dilma Rousseff e Ideli Salvatti
Lula participou de comício em Joinville com Dilma Rousseff e Ideli Salvatti
(Foto: )

Compartilhar

Tweet

Um Lula com forte teor ideológico e disposto ao confronto aterrissou em Santa Catarina na segunda-feira e reavivou uma longa história de rivalidade dos petistas catarinenses com o DEM da família Bornhausen. No comício em Joinville, o presidente chegou a dizer que o partido adversário deveria ser "extirpado da política brasileira".

A resposta, no mesmo tom, veio nesta terça-feira em nota do deputado federal Paulo Bornhausen: "Para pronunciar o nome dos Bornhausen dentro de Santa Catarina, Lula tem que estar são e lavar a boca antes".

A frase de Lula ganhou repercussão nacional. Aos militantes petistas que lotaram a praça Dario Salles, no Centro de Joinville, o presidente não mediu as palavras ao criticar a aliança que o ex-governador Luiz Henrique da Silveira (PMDB) mantém com o DEM desde 2006.

- Quando Luiz Henrique foi eleito governador de Santa Catarina, eu pensava que era pra mudar. Mas ele trouxe de volta o DEM que precisamos extirpar da política brasileira.

Lula citou diretamente a família Bornhausen, vinculando-a à candidatura de Raimundo Colombo (DEM) ao governo estadual.

- Sabemos que os Bornhausen não podem vir disfarçados de carneiro. Porque sabemos quem são os Bornhausen - disse o presidente.

As frases de Lula provocaram reação imediata do DEM. Na mesma linha da nota oficial do filho, o ex-senador Jorge Bornhausen sugeriu que o presidente estava "fora das condições normais" quando participou do comício. Disse que tem muito orgulho da história da família em Santa Catarina e foi ao contra-ataque:

- Aconselho o presidente a não faltar com a verdade, não inaugurar obras inacabadas, respeitar as famílias catarinenses e não ingerir bebidas alcoólicas antes dos comícios.

Bornhausen disse que, ao falar em "extirpar", Lula usa uma expressão "hitleriana". Ele nega semelhança da frase de Lula com a declaração que deu em 2005, na época do mensalão, quando disse "estaremos livres dessa raça por 30 anos".

- Eu expressei uma reação diante da vergonha que foi o mensalão, que até hoje o presidente esconde dentro do armário. Não teve intenção racista - justifica.

O candidato ao governo Raimundo Colombo disse ter ficado decepcionado com as declarações do presidente, mas minimizou o episódio.

- Eu achei uma frase muito infeliz, fiquei decepcionado com o presidente. Mas isso é coisa de palanque, prefiro entender dessa forma.

Luiz Henrique diz que Lula foi mal informado pelos petistas catarinenses sobre os motivos que o levaram a se aproximar do DEM.

- Continuo respeitando muito o presidente Lula. Quando me elegi, chamei o PT para participar do governo e o partido não quis. Para fazer as reformas que prometi, procurei o DEM - afirmou LHS.

Deixe seu comentário:

publicidade