nsc
dc

publicidade

Lados opostos

#LulaLivre e #Vergonha: como reagiram os políticos de SC à decisão do STF sobre prisão em segunda instância

Lideranças de Santa Catarina se manifestaram nas redes sociais logo após a decisão do STF contra a prisão em segunda instância

08/11/2019 - 11h23 - Atualizada em: 08/11/2019 - 18h19

Compartilhe

Lucas
Por Lucas Paraizo

Às 21h30min desta quinta-feira (7) o STF concluiu a votação que derrubou a possibilidade de prisão após condenação em segunda instância no Brasil. A polêmica polariza o debate político desde que começou a ser discutida no Supremo e nas declarações das lideranças políticas gira em torno especialmente de um nome: o ex-presidente Lula, que pode ser um dos beneficiados pela decisão.

Várias lideranças políticas de Santa Catarina foram para as redes sociais logo após a decisão dos ministros e se manifestaram fortemente em lados opostos. Políticos ligados ao Partido dos Trabalhadores (PT) comemoraram com o tradicional #LulaLivre, com direito a memes e até transmissão ao vivo de festa em Brasília.

Do outro lado, deputados e lideranças ligadas ao governo (federal e estadual) ou de outros partidos criticaram a medida afirmando que seria uma vitória da impunidade.

Até às 10h desta sexta-feira (8) nenhum dos senadores catarinenses e nem o governador, Carlos Moisés (PSL), haviam se manifestado sobre a decisão do STF.

Comemorações

Entre os mais fervorosos defensores de Lula em SC, os ex-deputados Décio Lima e Ana Paula Lima (PT) comemoraram com imagens e vídeos.

Deputado federal, Pedro Uczai (PT) exaltou a Constituição:

Já a ex-senadora e ministra do governo Dilma, Ideli Salvatti, fez no Facebook uma transmissão ao vivo da festa de apoiadores do ex-presidente Lula em Brasília.

Críticas

O deputado federal Peninha (MDB) criticou a medida citando que não beneficia apenas o ex-presidente Lula:

Advogada e deputada federal pelo PSL em SC, Caroline de Toni fez um discurso mais ameno citando "coincidências" históricas das mudanças de entendimento:

Também deputada federal, Geovânia de Sá (PSDB) chamou a decisão de "lamentável".

Ex-presidente do PSL em Santa Catarina e atual secretário de Desenvolvimento Econômico Sustentável de SC, Lucas Esmeraldino foi um dos poucos membros do governo que se manifestaram publicamente:

O deputado federal Darci de Matos (PSD) chamou a atenção para o risco da impunidade:

Ainda não é assinante? Assine e tenha acesso ilimitado ao NSC Total, leia as edições digitais dos jornais e aproveite os descontos do Clube NSC.

Deixe seu comentário:

publicidade