nsc
    dc

    Sul de SC

    Macaco é encontrado morto no Sul de SC e relação com febre amarela é investigada

    Corpo do animal foi recolhido na localidade de Linha Frasson, no município de Morro da Fumaça

    07/04/2019 - 08h44 - Atualizada em: 07/04/2019 - 10h57

    Compartilhe

    Redação
    Por Redação DC
    (Foto: )

    A morte de um macaco no município de Morro da Fumaça, na região Sul de Santa Catarina, reacendeu o alerta sobre a febre amarela no Estado. O animal foi encontrado morto na localidade de Linha Frasson nesta sexta-feira (5). A informação foi divulgada neste sábado.

    Conforme a Prefeitura do município, o caso está sendo analisado pela Vigilância Epidemiológica de Morro da Fumaça e a Gerência Regional de Saúde. Foi encaminhado para análise materiais que devem apontar se a morte do macaco foi causada pela febre amarela. O resultado dos exames, conforme informado pela prefeitura, deve ser divulgado em 30 dias.

    No dia 4 de março foi confirmada a primeira morte de macaco por febre amarela no Estado conforme a Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (Dive/SC). O animal da espécie bugio havia sido encontrado morto no município de Garuva, próximo à Joinville.

    Em relação à distribuição da vacina que previne a doença, ações extras estão sendo estudadas pelo município com o objetivo de reforçar a campanha de vacinação. Nos próximos dias, o horário poderá ser ampliado visando reforçar a importância da imunização.

    Vacinação ainda é baixa no município

    Apesar de a causa da morte do animal encontrado em Morro da Fumaça não ter sido confirmada, a preocupação do município tem sido referente à baixa procura pela vacina da febre amarela. O número de moradores imunizados pela doença ainda está abaixo do ideal de acordo com o Governo Municipal, que ressalta a importância da vacina para evitar a contaminação.

    A primeira morta causada por febre amarela em Santa Catarina foi confirmada no dia 28 de março após diagnóstico laboratorial. O Estado não registrava casos de febre amarela em humanos desde 1966.

    A vítima da doença, um homem de 36 anos, morreu no dia 12 de março e não tinha registro de vacina no Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunizações (SIPNI) de acordo com a Dive.

    A vacina é distribuída gratuitamente em todo o Estado nas unidades de saúde que tenham sala de vacinação. Em Morro da Fumaça, segundo a prefeitura do município, a imunização tem ocorrido de segunda a sexta-feira, entre 8h e 12h, e das 13h às 17h.

    Macaco não é o transmissor da doença

    A febre amarela não é transmitida aos seres humanos pelos macacos. Assim como as pessoas, o animal também é uma vítima e acaba servindo como um sinalizador da doença transmitida somente por mosquitos contaminados — não é contagiosa, logo, não passa diretamente de humano para humano.

    Os primatas, neste caso, acabam servindo como hospedeiros do vírus. Por isso a importância dos seres humanos se vacinarem contra a febre amarela para garantir a imunização, já que qualquer pessoa não vacinada corre o risco de contrair a doença.

    Leia mais notícias da região Sul de Santa Catarina

    Colunistas