nsc

publicidade

Caracas

Maduro promete justiça contra promotores de 'guerra econômica'

05/07/2018 - 19h42 - Atualizada em: 05/07/2018 - 19h43

Compartilhe

Por AFP

O presidente venezuelano, Nicolás Maduro, alertou nesta quinta-feira que submeterá à justiça quem promover uma "guerra econômica" no país petroleiro - que sofre com hiperinflação e escassez de alimentos, medicamentos e produtos básicos.

"Derrotaremos a guerra criminal e econômica contra nosso povo (...). Vamos derrotar e submeter à lei os que dirigem a guerra criminal contra o povo, eu juro", afirmou Maduro durante um desfile militar pelos 207 anos da independência da Venezuela.

Madurou culpou a "oligarquia" e o "imperialismo" por essas agressões.

"Que ninguém se confunda, o povo tem sua esperança e sua rebeldia mais vivas que nunca na batalha que está travando contra a guerra econômica da oligarquia e o imperialismo", disse.

A Venezuela atravessa uma aguda crise econômica, com hiperinflação que poderá superar 13.800% neste ano, de acordo com o FMI, e 200.000%, segundo o Parlamento de maioria opositora.

Maduro culpa especialmente Washington de aplicar um bloqueio por meio de sanções econômicas, que para ele dificultam as importações de alimentos e medicamentos.

"Vamos derrotar a guerra criminosa e econômica contra o povo e daremos estabilidade, paz e felicidade econômica ao nosso amado povo", disse o chefe de Estado.

Durante a cerimônia, as Forças Armadas declararam novamente a lealdade ao presidente e seu compromisso "anti-imperialista", exibindo tanques e veículos de combate antiaéreos no desfile.

* AFP

Deixe seu comentário:

publicidade