nsc
santa

FURA-FILA

Mais um caso de fura-fila da vacina contra a Covid-19 é investigado no Vale do Itajaí

Casos foram descobertos em investigação que apura o roubo de doses em Apiúna

07/04/2021 - 10h44 - Atualizada em: 07/04/2021 - 15h17

Compartilhe

Brenda
Por Brenda Bittencourt
Posto de saúde fica no Centro. Foto ilustrativa, tirada antes da pandemia.
Posto de saúde fica no Centro. Foto ilustrativa, tirada antes da pandemia.
(Foto: )

Mais um caso de fura-fila da vacinação contra a Covid-19 está em investigação em Apiúna, no Vale do Itajaí. Até o momento, duas funcionárias responsáveis pela aplicação do imunizante foram afastadas dos cargos. Uma delas tinha parentesco com a pessoa que recebeu a dose da vacina conforme nota da Secretaria Municipal de Saúde.

> Receba todas as notícias de Apiúna e região no seu WhatsApp. Clique aqui.

De acordo com a prefeitura, os dois casos foram descobertos após a abertura do inquérito que apura o roubo das vacinas no dia 10 de março. Um dos casos de fura-fila ocorreu no dia 6 de março e o outro no dia 17 do mesmo mês.

Neste dia, a faixa etária para receber o imunizante no município era de 90 anos. Segundo a prefeitura, ao final do dia, uma das responsáveis por fazer a aplicação das vacinas notou que havia sobrado uma dose e solicitou autorização para vacinar um idoso de 72 anos. O homem seria pai da funcionária. A prefeitura não confirmou se esta autorização foi aprovada.

O segundo caso aconteceu no dia 17 de março. Segundo nota oficial, uma funcionária teria antecipado a vacinação de uma idosa de 71 anos. Na época, a faixa etária para receber o imunizante era de 77 a 79 anos. A prefeitura declarou em nota que o motivo foram “divergências no atendimento da paciente”. Ou seja, a idosa teria solicitado a vacinação, foi atendida para só depois mostrar o documento dela, que revelou os 71 anos, abaixo do permitido à época. 

De acordo com a prefeitura, as duas questões estão sendo apuradas em uma sindicância. As funcionárias foram afastadas até a conclusão das investigações e medidas cabíveis serão tomadas conforme o decorrer dos processos. O caso de roubo continua em investigação.

> Profissional é afastada por aplicar vacina contra Covid em Camboriú de forma errada, diz prefeitura

O prefeito, Marcelo Doutel da Silva, publicou um vídeo no seu perfil próprio do Facebook lamentando o ocorrido, explicando a situação e informando que caso tenha sido um funcionário o responsável pelo furto das vacinas, o profissional será exonerado.

Confira a nota oficial da prefeitura da íntegra:

"Devido ao furto de vacinas ocorrido no dia 10 de março, a partir de então foi iniciado inquérito para investigação do caso, sendo assim exigida a divulgação da lista de vacinados, onde verificou-se dois casos de antecipação em situações distintas.

Segundo fatos apurados, a faixa etária a ser vacinada no dia da primeira antecipação era de 90 anos. Ao final dos procedimentos do dia, havia sobrado uma dose, na qual deveria ser destinada à próxima faixa etária. Porém, uma funcionária responsável pela aplicação das doses, solicitou autorização para vacinar um idoso com idade de 72 anos, tendo este relação de parentesco com a funcionária. A situação ocorreu no dia 06 de março.

Um segundo caso, que ocorreu no dia 17 de março, envolveu outra funcionária que antecipou a vacinação para um idoso de 71 anos, devido a divergências no atendimento do paciente. Nesta data a faixa etária de vacinação era de 77 a 79 anos. Este caso não tem relação de parentesco.

Ambas as situações estão sendo apuradas dentro do inquérito civil dos furtos das vacinas e os funcionários envolvidos com a antecipação das vacinações estão afastados no momento. Uma sindicância está apurando os fatos e todas as medidas cabíveis serão tomadas conforme decorrer dos processos. O caso de roubo das vacinas segue em investigação."

Colunistas