nsc
an

Reivindicações

Manifesto pede medidas de segurança em curto prazo para SC-418, no Norte de SC

Estado afirma que estão sendo feitos serviços de recapeamento e tapa-buracos

24/12/2021 - 07h00

Compartilhe

Hassan
Por Hassan Farias
Um dos segmentos da SC-418 cruza a Serra Dona Francisca (Foto:
Um dos segmentos da SC-418 cruza a Serra Dona Francisca (Foto:
(Foto: )

Um manifesto divulgado neste mês reivindica mais empenho e celeridade do poder público para criar soluções para a SC-418, rodovia que vai da BR-101, em Joinville, até São Bento do Sul, no Planalto Norte do Estado.

> Acesse para receber notícias de Joinville e região pelo WhatsApp

O documento é assinado por entidades, associações e membros da sociedade civil organizada, que pedem medidas de curto, médio e longo prazo para garantir a segurança e o “direito à vida” dos usuários da rodovia.

Segundo o manifesto, as pessoas que precisam percorrer o trajeto são submetidas a um alto risco de acidentes graves que deixam dezenas de mortes e centenas de feridos, além de sequelas emocionais.

As principais causas das ocorrências são conhecidas e passíveis de medidas que podem reduzir o problema de forma significativa, dizem os signatários do documento.

Uma das lideranças por trás das reivindicações, o empresário José Rizzo Hahn Filho, de Joinville, explica que o grupo tem ciência de um projeto para requalificação da rodovia. No entanto, eles estimam que as obras devem começar apenas em 2023, o que exige outras soluções paliativas, em curto prazo, para reduzir as chances de novas tragédias.

Manifesto pede força tarefa e plano de ação

No documento, o grupo tem dois pedidos: a elaboração e aprovação de uma medida que crie uma força tarefa especializada para que apresente um plano de ação com ideias viáveis para aumentar a segurança da rodovia; e ações por parte do poder público para que as iniciativas sejam analisadas e tenham recursos disponibilizados para execução.

– Se a gente juntar um grupo de especialistas – e a ideia é que o governo participe disso – que converse com quem já está envolvido nesse problema conseguiríamos elencar algumas medidas para melhorar a situação – defende Rizzo.

> Com novos radares em estudo, PMRv pede conscientização aos motoristas na SC- 418

Segundo o empresário, há uma reunião marcada para janeiro entre o grupo e o secretário estadual de infraestrutura, Thiago Augusto Vieira. No encontro, Rizzo espera que seja possível criar uma medida para constituir a força tarefa e começar a análise de ações a serem executadas com urgência.

– O problema já é conhecido e estamos tentando manter a coisa realmente bem objetiva. Estamos esperançosos de que o governo nos receba bem e dê continuidade. Vamos continuar acompanhando e cobrando porque nos propusemos a levar isso adiante – reforça Rizzo.

Obras de tapa-buracos e recapeamento da rodovia
Estado afirma que realiza obras de tapa-buracos e recapeamento da rodovia
(Foto: )

Em cinco anos, 59 pessoas perderam a vida

Como argumentos para pedir melhorias imediatas para a rodovia estadual, as entidades e associações destacam a importância da SC-418 para escoamento das indústrias do Planalto Norte até o Litoral; o potencial turístico pelas belezas naturais da região; e o deslocamento de pessoas que moram em uma cidade, mas estudam ou trabalham em outra e fazem o trajeto diariamente.

Além disso, o manifesto traz ainda dados sobre as ocorrências registradas na SC-418 desde 2017 até 13 de dezembro deste ano para mostrar os perigos enfrentados pelos usuários da rodovia. Os números são da Polícia Militar Rodoviária (PMRV).

> Prefeitura de Joinville quer mais placas de orientação na Serra Dona Francisca

A SC-418 tem 67 quilômetros de extensão, entre Joinville e São Bento do Sul, e teve 1.699 acidentes de trânsito no período, representando uma média de quase uma ocorrência por dia. Foram 2.765 veículos envolvidos e 884 vítimas feridas. Ao todo, 59 pessoas morreram na SC-418 desde 2017.

Os números ainda mostram que o trecho com mais acidente ao longo desse período foi entre a ligação com a BR-101 e o fim da serra, com 649 ocorrências. Apesar disso, o maior número de mortes ocorreu no trecho seguinte, que vai até próximo do limite entre Joinville e Campo Alegre, poucos quilômetros antes do posto da PMRv.

Melhorias no asfalto, roçada e sinalização

Procurada pela reportagem, a Secretaria de Infraestrutura do Estado (SIE) informou que estão sendo feitos serviços de recapeamento e tapa-buracos em toda a extensão da rodovia, além de roçada e reforço na sinalização da via. Segundo o Estado, são ações para garantir a trafegabilidade dos motoristas que usam a SC-418.

Em relação a medidas em médio e longo prazo, o Estado afirmou que está sendo licitada a manutenção das placas de concreto (pavimento rígido) e a restauração da via, entre a BR-101 e Campo Alegre. De acordo com a SIE, o edital de licitação deve ser lançado em 2022.

A requalificação da via deve incluir faixas adicionais, barreiras em curvas, refúgios, entre outras soluções para maior segurança dos usuários da rodovia. Ainda há previsão de duplicação e terceira pista em determinados trechos, mas estudos vão indicar em quais trechos será possível a execução as obras. A instalação de áreas de escape também passará por análise de viabilidade.

> Instalação de lombadas eletrônicas está em estudo na SC-418, em Joinville

Além disso, o colunista Jefferson Saavedra publicou no início deste mês que outra iniciativa em estudo pelo Estado é a instalação de lombadas eletrônicas na SC-418, incluindo o segmento da Serra Dona Francisca.

Em solicitação da SIE, a PMRv faz o mapeamento dos pontos críticos que podem ser incluídos em um parecer sobre eventuais locais para colocação dos equipamentos.

Como o levantamento está em andamento, não há definição de quantas lombadas poderão ser instaladas e quais locais ondem ficariam. Também não há prazo para instalação porque a contratação do serviço depende de licitação a ser realizada futuramente.

Leia também:

Joinville tem novo capítulo sobre obras nas ruas Copacabana e dos Suíços

O que falta para a conclusão de 5 grandes obras no trânsito de Joinville

Joinville busca novo empréstimo, agora de R$ 100 milhões

Joinville tem 54 quilômetros de ruas sem manutenção por não serem oficiais

Colunistas