publicidade

Esportes
Navegue por

Alvinegro

Maria diz que Figueirense não é favorito no Catarinense 2019, "mas vamos crescer"

Apesar do discurso com humildade, treinador acredita que a equipe tem chance de alcançar o título

18/01/2019 - 07h25 - Atualizada em: 18/01/2019 - 07h21

Compartilhe

Redação
Por Redação DC
Figueirense larga no Catarinense 2019 com vitória
Figueirense larga no Catarinense 2019 com vitória
(Foto: )

O Figueirense passou dificuldades, mas conseguiu vencer o Criciúma na noite de quinta-feira, fora de casa. No Heriberto Hülse, aproveitou a única chance que teve ao longo da partida e ganhou por 1 a 0, gol de Yuri. O Figueira não pode contar com nove atletas do elenco, sendo que seis deles foram por não estarem inscritos. O futebol apresentado não foi dos melhores. O técnico Hemerson Maria admitiu na avaliação que fez após o duelo no Sul de Santa Catarina. Mas a equipe vai evoluir ao longo do campeonato ao ponto de poder brigar pelo título do Catarinense 2019.

— Não se pode menosprezar o torcedor do Figueirense, provamos a força da camisa. Não somos ainda a melhor equipe do campeonato. Vi alguns jogos, a questão física pesa no início da temporada. Alguns atletas ainda vão ser agregados à equipe, alguns estão com a perna pesada. Vamos encorpar essa equipe e, volto a frisar, o Figueirense é o maior vencedor, temos uma camisa pesada. Se fosse apostar, não colocaria o Figueirense hoje como um dos primeiros favoritos, mas vamos crescer e temos uma coisa importante, o apoio do nosso torcedor. Com organização e determinação podemos vencer um campeonato — falou Maria na entrevista coletiva após o jogo no Heriberto Hülse.

O Figueirense passou grande parte da partida na defesa. Depois do gol anotado, aos 20 do segundo tempo, jogadores do Alvinegro começaram a cair no gramado. O técnico Hemerson Maria defendeu que seus comandados sofreram os efeitos do jogo intenso e no gramado pesado pelas chuvas, ainda mais por conta da primeira partida que fizeram na atual temporada.

— Eu vejo que nós não viemos jogar uma bola, como pareceu pelo que o jogo se desenhou. Não podemos esquecer, e não é desculpa, que o Criciúma estava um pouco à frente na parte física. Fizemos o primeiro jogo da temporada, e peço desculpas ao torcedor. Nos momentos que os jogadores caíram não era cera, era cãibra. Vários jogadores que não vinham atuando fizeram 90 minutos. Nós, pelo pouco tempo de preparação, optamos por não fazer amistosos. O resultado foi importante para dar credibilidade ao nosso trabalho e confiança ao torcedor que esse ano será diferente. Temos que melhorar muito, sabemos, o Criciúma fez um grande jogo. Não acredito em sorte e azar, acredito em merecimento e competência.

Deixe seu comentário:

publicidade

Navegue por
© 2018 NSC Comunicação
Navegue por
© 2018 NSC Comunicação