nsc

publicidade

Alvinegro

Maria tira lições na eliminação e elogia a postura do Figueirense

Treinador avalia que time jogou bem contra Chapecoense e agora foca Série B

15/04/2019 - 09h35 - Atualizada em: 15/04/2019 - 17h10

Compartilhe

Darci
Por Darci Debona
Chapecoense venceu o Figueirense por 1 a 0 na semifinal do Catarinense
Figueirense deixou a vaga na decisão escapar na Arena Condá, onde perdeu por 1 a 0
(Foto: )

Mesmo chateado pela eliminação na semifinal do Campeonato Catarinense, pela derrota por 1 a 0 na Arena Condá, o técnico do Figueirense, Hemerson Maria, não considerou que o time foi mal e avaliou que seu time poderia estar na final. Ele disse que faltou um pouco mais de maturidade e poder ofensivo em sua equipe. Disse que tentou dois a três reforços para a fase final, mas que não conseguiu.

– Eu penso que poderíamos ter ido mais longe, mas para que pudéssemos ter vencido aqui teríamos que ter feito um jogo perfeito, um jogo onde não cometêssemos erros e ter também a eficiência. Lógico que não estamos satisfeitos com a eliminação aqui, nós gostaríamos de chegar na final do campeonato, trabalhamos para isso, mas tiramos boas lições, amadurecemos mais o elenco, fizemos aqui um jogo equilibrado na minha avaliação, onde se o Figueirense vencesse, pelo que foi o jogo não seria nenhuma surpresa. Gostei da postura da nossa equipe e agora é parabenizar a Chapecoense e também o Avaí que são os grandes finalistas, que façam agora um grande jogo e cabe a nós descansar e preparar nossa equipe para a Série B do Campeonato Brasileiro – disse

O treinador do Figueirense lembrou que o alvinegro tinha apenas dois jogadores com mais de 30 anos, Denis e Zé Antônio, enquanto que a Chapecoense tinha seis que estão com mais de 30 ou vão fazer 30: Eduardo, Gum, Douglas, Elicarlos, Márcio Araújo e Rildo.

Para o treinador, essa falta de experiência refletiu na jogada do gol, em que seu time deveria ter feito uma falta tática no início da jogada, e também na postura da Chapecoense, que soube controlou o jogo e administrar a vantagem.

Por outro lado ressaltou que utilizou vários jogadores da base durante o campeonato e que esse é o caminho para o Figueirense. Ele entende que o tropeços em casa, como a derrota para o Marcílio Dias, também atrapalharam, pois a decisão poderia ter sido no Orlando Scarpelli, detalhe que poderia ser decisivo numa disputa tão equilibrada.

Mesmo assim o treinador considera que estar entre os quatro semifinalistas estava dentro do objetivo. Ele lamentou mais a eliminação na Copa do Brasil, para a Luverdense, do que a eliminação no Catarinense, pois foi num clássico estadual.

- Eu penso que um dos objetivos era ficar entre os quatro semifinalistas, tentar uma posição de levar o jogo para o Scarpelli, que às vezes faz a diferença, nessa reta final não tivemos a competência para fazer isso, tivemos resultados negativos dentro de casa mas diferente do início do campeonato, quando disse que nossa performance não estava de acordo com o resultado, hoje não, hoje tivemos uma performance boa, falto o resultado. Dar confiança para os atletas, tentar qualificar com outros que já estão em Florianópolis, recuperar alguns lesionados, porque a perspectiva que eu tenho é que a gente possa fazer uma Série B de um nível muito legal e tentar o grande objetivo do clube que é uma das vagas para a Série A do Campeonato Brasileiro- declarou.

Ele afirmou que agora é o momento de qualificar o grupo, citou os reforços de Tony e Fellipe Mateus, falou em recuperar Betinho e Alemão, e agregar mais jogadores. Pediu apoio da torcida, que segundo ele pode ser o diferencial nesta Série B.

Deixe seu comentário:

publicidade