nsc
dc

Resgate

Menino de 8 anos fica preso em tubulação em Lages por motivo inusitado

De acordo com Bombeiros, criança teve escoriações no joelho e alguns edemas

29/12/2021 - 11h56 - Atualizada em: 29/12/2021 - 12h04

Compartilhe

Mayara
Por Mayara Souto
Bombeiros resgate tubulação concreto
Bombeiros resgataram menino de 8 anos de tubulação de concreto em Lages
(Foto: )

Um menino de 8 anos ficou preso em uma tubulação de concreto em um terreno no bairro Guarujá, em Lages, na tarde desta terça-feira (28). O motivo do acidente foi bem inusitado. Ele havia entrado na estrutura para "fazer xixi" e acabou ficando preso. O Corpo de Bombeiros Militar da cidade realizou o resgate da vítima e encaminhou-o para atendimento médico. 

> Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo Whatsapp

A criança estava presa pelos membros inferiores e com dores no pé e joelho. Ele explicou para a guarnição que entrou na tubulação para conseguir "usar o banheiro", mas ficou com vergonha e se abaixou para que ninguém visse. Segundo os bombeiros que realizaram o atendimento, o menino estava lúcido e orientado. 

A primeira tentativa de retirar a vítima do local não teve sucesso. Então, os socorristas precisaram quebrar a tubulação com auxílio de picareta, marreta e pás. Após escavar ao redor do tubo e realizar a quebra da estrutura, o menor foi retirado do local e imobilizado com colar cervical e maca rígida.

Acompanhado da mãe, a criança foi encaminhada para o Hospital Infantil Seara do Bem, em Lages, para avaliação médica. Segundo os bombeiros, ele apresentava escoriação e edema no joelho esquerdo, mas sem outras lesões aparentes ou queixas de dor. 

A assessoria do Corpo de Bombeiros Militar de Lages afirmou que irá verificar a necessidade de sinalizar ou reparar o local do ocorrido. 

Veja galeria de fotos do resgate

Leia mais:

Acidente na BR-470 mata três pessoas da mesma família e deixa dois feridos

Bolsonaro aposta na Mega da Virada e corta o cabelo em barbearia em São Francisco do Sul

'Invasão' de turistas impulsiona fluxo em rodoviárias de Balneário Camboriú e Florianópolis

Colunistas