nsc
    dc

    Depois dos 50

    Mitos e verdades sobre a sexualidade na melhor idade

    Segundo especialista, prazer pode ser ainda melhor com o passar dos anos

    30/10/2014 - 11h05 - Atualizada em: 31/10/2014 - 07h33

    Compartilhe

    Por Redação NSC
    (Foto: )

    A sexualidade mudou, mas ainda é cercada de mitos, principalmente para quem já passou dos 50 anos. Ainda hoje, homens e mulheres têm vergonha de falar sobre sua vida sexual, mesmo com médicos.

    - As pessoas procuram o ginecologista e o urologista quando têm um problema e o geriatra para acompanhamento. Este faz um interrogatório mais profundo com os pacientes e, muitas vezes, eles pedem para pular as questões que envolvem a sexualidade - diz Newton Terra, geriatra e diretor do Instituto de Geriatria e Gerontologia da PUCRS.

    Filhos e netos contribuem para que os mais velhos enxerguem o próprio corpo como algo impróprio. O problema se agrava quando o assunto é sexo e afetividade. Uma pesquisa realizada pelo Programa de Estudos em Sexualidade da Universidade de São Paulo, com 8 mil pessoas, mostra que 93% dos homens com mais de 50 anos se consideram sexualmente ativos, e só 76% das mulheres. O contraste aumenta entre o grupo com mais de 60: 87% dos homens e 51% das mulheres ainda se mantêm sexualmente ativos.

    Preconceito dificulta combate à aids em idosos, aponta estudo

    Perda do desejo sexual das mulheres na velhice é um mito, diz

    sexóloga

    - Ainda que doenças como a aids tenham mudado a forma como as pessoas falam sobre sexo, uma mulher mais velha que anuncia um relacionamento sexual para a família ainda enfrenta mais problemas do que os homens. Casais que estão juntos há mais de 30, 40 anos, não têm liberdade de conversar. Sexo ainda parece um palavrão - apontou.

    Confira os mitos destacados por Terra:

    Eles não são assexuados

    - É comum condenarem os mais velhos a seres assexuados e criarem barreiras para que os pais e avós não possam ter um novo relacionamento ou mesmo falar sobre sexo. É um crime fazer isso com eles - destacou o geriatra.

    Cuidados

    Assim como qualquer pessoa, o uso de camisinha é indispensável. Terra ressalta que associar medicamentos para a pressão, por exemplo, a drogas que melhoram o desempenho pode ser prejudicial. Por isso, conversar com o médico é indicado antes de passar na farmácia e comprar o famoso Viagra.

    O prazer só aumenta

    As alterações físicas que podem chegar com a idade não alteram o prazer. Pelo contrário, a idade pode fazer com que a relação seja ainda mais prazerosa.

    Beijar é o melhor remédio

    - Idosos adoram ser beijados e abraçados. Eles são muito carentes porque, geralmente, paramos de ser carinhosos com os mais velhos por vergonha. Muitas clínicas separam os grupos por sexo. Em presídios, o condenado pode receber visitas íntimas, mas um homem mal pode pegar na mão de uma mulher quando participam de uma mesma associação, por exemplo.

    Libido não é mito

    A mulher pode ver sua libido diminuir e deve discutir com sua ginecologista sobre os riscos e benefícios da reposição hormonal. Para Terra, nem toda mulher precisa desses recursos, até porque o mau uso pode ser fatal.

    Desempenho só melhora

    Exercício é fundamental para o desempenho sexual, mas, principalmente, para manter a qualidade de vida.

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Saúde

    Colunistas