nsc

Literatura

Moacir Pereira resgata história de Paulo Gil, um salvador de náufragos na Ilha

Livro sobre velejador e empresário será lançado às 19h desta quarta-feira, no Iate Clube

06/11/2019 - 18h47

Compartilhe

Moacir
Por Moacir Pereira
Capa de livro de Moacir Pereira o Mar por Testemunha
Livro tem 160 páginas e com rica ilustração sobre as atividades do manezinho
(Foto: )

Será lançado nesta quarta-feira (6), a partir das 19h, no Iate Clube de Santa Catarina, o livro "Paulo Gil, o mar por testemunha", de autoria do jornalista Moacir Pereira, com selo da Dois por Quatro Editora.

A obra resgata a história do velejador e empresário Paulo Gil Alves, um desportista apaixonado pelo mar que se tornou famoso pelas operações de salvamento de náufragos na Ilha de Santa Catarina, de desaparecidos no mar e pelo resgate de embarcações que afundaram no Litoral.

Regsate de jornal da época
Resgate de jornal da época
(Foto: )

Era respeitado, também, pelo caráter empreendedor. Realizava viagens pelo Brasil e vários países à procura de inovações arquitetônicas e tecnológicas em marinas, trapiches, iates clubes, resorts de praia e organizações voltadas para o desfrute e a exploração do mar.

Ao adquirir a Pedrita, no Rio Tavares, desenvolveu um projeto com o que havia de mais moderno em tecnologia no Brasil, em sociedade com a Link, de Porto Alegre. Foi um dos pioneiros na luta pela construção de uma marina em Florianópolis. Liderou um grupo de empresários e contratou um projeto de marina na Beira Mar Norte há 35 anos.

O primeiro “drive thru” do Estado foi igualmente de sua iniciativa com outros amigos, ao instalar em Coqueiros, ao lado da sede balneária do Clube 12 de Agosto, o “Tritão”.

Começou as atividades náuticas em pequenos barcos a vela e logo passou a comandar barcos de oceano, conquistando vários títulos em torneios e campeonatos estaduais e nacionais. Eleito Comodoro do Iate Clube de Santa Catarina, inovou na sede oceânica em Jurerê, dotando-as de novos equipamentos.

Sua passagem na Câmara da Indústria de Mineração da Fiesc foi rápida, mas marcante, como relatado pelos presidentes da Federação, em função de iniciativa sobre a legislação nacional e a modernização do setor.

Amigos descrevem Paulo Gil como cidadão exemplar na família e nas relações com a sociedade e com os amigos. Alegre, divertido, generoso, sensível, compartilhava emoções e conquistas com todos.

Órfão na infância, exerceu cargos na administração pública e fez sucesso na iniciativa privada com muito trabalho e graças ao espírito criativo e empreendedor.

Morreu em 29 de outubro de 1999 com apenas 57 anos. O livro que homenageia Paulo Gil tem 160 páginas e com rica ilustração sobre suas atividades.

Ainda não é assinante? Assine e tenha acesso ilimitado ao NSC Total, leia as edições digitais dos jornais e aproveite os descontos do Clube NSC.

Deixe seu comentário:

Últimas notícias

Loading interface... Todas de Entretenimento

Colunistas