nsc
an

34º Festival de Dança

Mostra Contemporânea de Dança ocorre paralelamente ao Festival de Joinville

Coreografias apresentam as discussões mais recentes sobre a arte

22/07/2016 - 03h01 - Atualizada em: 22/07/2016 - 06h19

Compartilhe

Por Redação NSC
Coreografia da Companhia Siameses reflete sobre o amadurecimento e a velhice humana
Coreografia da Companhia Siameses reflete sobre o amadurecimento e a velhice humana
(Foto: )

O aprofundamento na pesquisa e no desenvolvimento crítico da dança como arte é a marca principal da Mostra Contemporânea de Dança, que começa hoje como atração paralela do Festival de Joinville. Ela é, entre todas as possibilidades do maior evento de dança do mundo, aquela que leva ao palco o que há de mais recente nas discussões sobre movimentos e linguagens cênicas e suas relações com as outras artes. Em um festival que tem como base a formação de jovens estudantes, a Mostra Contemporânea de Dança é o momento em que torcidas e aplausos efusivos são deixados de lado.

- O Festival de Dança traz diferentes formatos para a formação, entre os cursos e os espetáculos da Noite de Abertura e da Noite de Gala - afirma a curadora Thereza Rocha.

Mas a mostra diferencia-se por acolher nesta moldura produções de companhias profissionais que não são para a grande arena. Por isso, o Teatro Juarez Machado, anexo ao Centreventos Cau Hansen, é o escolhido para as três apresentações desta edição: D.G.Lo, da Companhia de Dança Siameses (SP); Soluto, do grupo Ritmo Soul'to (CE); e da Cia. Dimenti (BA). Tratam-se de obras que refletem as investigações e inquietações na dança moderna, traduzindo também o contexto atual da sociedade em que foram criadas.

Confira a programação completa do 34º Festival de Dança de Joinville

- São coreografias bastante distintas para que apresentem o panorama mais vasto possível. Para os participantes do Festival, é importante que elas despertem curiosidade sobre a questão cênica do ponto de vista da pesquisa - analisa Thereza.

A obra que inaugura esta edição é D.G.Lo, do coreógrafo Mauricio de Oliveira, que, após 11 anos em trabalhos pela Alemanha e Holanda, retornou ao Brasil em 2005 para montar uma companhia em que unisse as experiências vividas na Europa. Em cena, D.G.Lo coloca três intérpretes que representam, em uma intensa performance corporal, o florescimento dos vegetais e o crescimento resiliente das plantas.

Nesta metáfora entre germinar e florescer, está também a questão do envelhecimento humano, dos corpos que envelhecem ao mesmo tempo em que conquistam força em sua essência.

- Acredito que o nosso corpo é o último reduto onde o outro não tem controle, ainda mais em uma sociedade que controla tudo. Por isso, a pesquisa em dança é de fundamental importância para lembrar o que realmente lhe pertence ao falar da condição humana - avalia Mauricio.

Na noite de 29 de julho, é a vez de Soluto, um espetáculo de danças urbanas com interferência de xote e capoeira, apresentado pelo grupo Ritmo Soul'to, uma dos mais importantes do gênero no Norte do País. No último dia de Festival, o bailarino Neto Machado mistura dança, teatro, cinema e histórias do imaginário infantil sobre monstros-ninjas-robôs em Kodak, que será apresentado excepcionalmente às 15 horas.

Noite de jazz e clássico de repertório

A Mostra Competitiva desta noite tem o jazz como estrela principal. É quando se apresentam o solo masculino sênior e o jazz feminino júnior, além do duo sênior. O Balé Clássico de Repertório também está na programação, com quatro apresentações do conjunto júnior e quatro solos feminininos sênior.

Entre as escolas representadas, estão nomes com tradição em prêmios no Festival de Dança de Joinville, como o CEP em Arte Basileu França, o Raça Centro de Artes, o Grupo Roseli Rodrigues e o Instituto de Orientação Artística, no jazz; e o Ballet Adriana Assaf e o Balé Juvenil Centro Cultural Gustav Ritter. As apresentações começam às 19 horas, na arena do Centreventos Cau Hansen.

Agende-se:

O QUÊ: Mostra Contemporânea de Dança

QUANDO: sexta-feira, dia 22 de julho, às 22 horas; 29 de julho, às 22 horas; e 30 de julho, às 15 horas.

ONDE: Teatro Juarez Machado (Av. José Vieira, 315, América, anexo ao Centreventos Cau Hansen, em Joinville)

QUANTO: R$ 22, à venda no site oficial (festivaldedanca.com.br) e nas bilheterias do Centreventos Cau Hansen, das 13 às 22 horas.

O quê: 2ª noite de Mostra Competitiva

Quando: sexta-feira, dia 22 de julho, às 19 horas

Onde: Centreventos Cau Hansen (Av. José Vieira, 315, América, em Joinville)

Quanto: ingressos à venda no site oficial (festivaldedanca.com.br) e na bilheteria, todos os dias, das 13 às 22 horas.

Leia mais:

A dança renasce em Joinville e a cidade se consolida no cenário de formação de bailarinos

Colunistas