publicidade

Investigação

Motorista que atropelou e matou jovem em Criciúma diz à polícia que não viu a vítima

Ele prestou depoimento na tarde desta segunda-feira 

12/08/2019 - 17h30 - Atualizada em: 12/08/2019 - 18h05

Compartilhe

Lariane
Por Lariane Cagnini
Ediane da Cunha Medeiros, 21 anos, morreu atropelada em acidente ocorrido no domingo
Ediane da Cunha Medeiros, 21 anos, morreu atropelada em acidente ocorrido no domingo
(Foto: )

O motorista de 21 anos que atropelou e matou Ediane da Cunha Medeiros, 26 anos, disse à polícia que não viu a vítima. O homem, que não teve a identidade revelada pela Polícia Civil, prestou depoimento na tarde desta segunda-feira (12). Ele deu detalhes sobre o acidente ocorrido pouco antes das 6h de domingo.

O motorista se apresentou à polícia acompanhado do pai e de uma advogada. Ao delegado Fernando Possamai, responsável pelo caso, ele disse que voltava de uma festa e que tinha ingerido somente um copo de bebida alcoólica.

Como afirmou não ter visto a vítima, ele seguiu o percurso sem parar para prestar socorro. Depois de dar esclarecimentos à polícia, o motorista foi liberado. O atropelamento ocorreu na contramão, em uma via com limite de velocidade estipulado em 40 km/h.

A polícia vai definir se irá tratar o caso como homicídio doloso ou acidente de trânsito, que é o homicídio culposo, quando não há intenção de matar.

— Ele invadiu a calçada na contramão, isso é uma qualificadora do Código de Trânsito Brasileiro, quando a pessoa acaba invadindo a calçada e cometendo qualquer infração no trânsito, nesse caso foi um homicídio. Inclusive, ele não parou o veículo para socorrer a vítima — explicou Possamai.

Ediane foi atingida por uma caminhonete Mitsubishi Pajero TR4 na Rua Domênico Sônego, no bairro Santa Bárbara. Ela estava a poucos metros do local de trabalho, onde atuava como vigilante, e ia completar um ano de empresa em setembro. Ela deixa um filho de cinco anos, o marido e dois enteados.

Leia as últimas notícias no NSC Total

Deixe seu comentário:

publicidade