nsc
    hora_de_sc

    Atropelamento

    Motoristas envolvidos em acidente com morte em Florianópolis vão a júri popular

    A decisão é cabível de recurso. E os advogados dos réus já avisaram que vão recorrer

    27/02/2019 - 11h00

    Compartilhe

    Por Leonardo Thomé
    Carro usado por Sirotsky horas depois do atropelamento no pátio da 7ª DP, em Canasvieiras
    (Foto: )

    O juiz Renato Mastella, da Vara do Tribunal do Júri de Florianópolis, determinou que dois motoristas envolvidos em uma sequência de atropelamentos na madrugada de 6 de agosto de 2017 na SC-402, em Jurerê, sejam julgados pelo Tribunal do Júri da Capital. A defesa dos dois réus pode recorrer da sentença de pronúncia, na tentativa de reverter a decisão e livrar os acusados do julgamento popular.

    Sérgio Orlandini Sirotsky, 21 anos, motorista de um Audi envolvido no atropelamento de três pessoas e a morte de uma delas, responderá por homicídio com dolo eventual, dupla tentativa de homicídio com dolo eventual e omissão de socorro.

    Já Eduardo dos Santos Rios, motorista de outro veículo envolvido em outro atropelamento minutos depois, e onde uma quarta vítima ficou ferida, foi pronunciado por homicídio com dolo eventual, dupla tentativa de homicídio com dolo eventual e omissão de socorro.

    O juiz Mastella concedeu aos réus o direito de recorrer em liberdade, já que assim permaneceram durante toda a instrução processual.

    Em relação a Sirotsky, o magistrado ainda negou o pedido da defesa para que fossem derrubadas as medidas cautelares, entre elas a retirada da tornozeleira eletrônica usada pelo acusado desde setembro de 2018. Segundo Mastella, o uso do monitoramento eletrônico no réu foi prorrogado por mais 90 dias em dezembro.

    Defesas dos réus vão recorrer

    O advogado Nilton Macedo Machado, que representa Sérgio Orlandini Sirotsky, afirmou que vai recorrer da pronúncia nos próximos dias. Sua peça, destaca, consistirá em derrubar a tese do Ministério Público de dolo eventual – quando se assume o risco de produzir algo – para homicídio culposo – sem intenção de matar.

    O advogado Francisco Emmanuel Campos Ferreira, da Sociedade Ferreira e Schaefer Martins, que defende Eduardo Santos Rios, informou que também vai recorrer, pois entende que a pronúncia “merece reforma”. Um deles, aponta, é que a peça apresenta duas tentativas de homicídio contra seu cliente, o que segundo ele não aconteceu.

    Denúncia

    Sérgio Orlandini Sirotsky foi denunciado pela morte de Sérgio Teixeira da Luz Júnior, 23 anos, e ferimentos em Rafael Machado da Cruz e Edson Mendonça de Oliveira. Teixeira da Luz foi atropelado no dia 6 de agosto e morreu cinco dias depois, em 11 de agosto.

    A denúncia contra Santos Rios foi por tentativa de homicídio contra Luz Júnior – que já estava caído no chão – e contra Maycon Mayer – que socorria as vítimas e também ficou ferido.

    Os atropelamentos atribuídos a Santos Rios ocorreram instantes após o de Sirotsky, quando a pista de rolamento e o acostamento tinham várias pessoas feridas e outras tentando sinalizar o local e preservar as vítimas.

    Como foi o acidente

    Os atropelamentos aconteceram no início da manhã de 6 de agosto, na SC-402, nas proximidades do Complexo Music Park, em Jurerê, norte da Ilha, em Florianópolis. Segundo a Polícia Militar Rodoviária (PMRv), o acidente ocorreu por volta das 5h30min próximo ao complexo Music Park. As vítimas saíam de uma festa no local quando foram atingidas pelos veículos.

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Polícia

    Colunistas