nsc
dc

Solidariedade

Mulher abriga 97 cães durante passagem do furacão Dorian pelas Bahamas

Para ajudar a manter os bichinhos, moradora conta com doações de vizinhos. Furacão matou cinco pessoas e atingiu mais de 13 mil casas

04/09/2019 - 14h47 - Atualizada em: 04/09/2019 - 14h55

Compartilhe

Folhapress
Por Folhapress
Atitude da mulher ganhou repercussão nas redes sociais
Atitude da mulher ganhou repercussão nas redes sociais
(Foto: )

A força do furação Dorian fez com que moradores das Bahamas se unissem para conseguir enfrentar a fúria da tempestade mais forte da história da região. Uma mulher, no entanto, chamou a atenção nas redes sociais ao resgar 97 cachorros em sua própria casa.

Não há espaço suficiente, como mostram as fotos, mas Chella Phillips afirma que vale a pena salvá-los. "Não me importo com a limpeza constante, desde que eles estejam seguros", afirmou a mulher em seu perfil no Facebook.

Para ajudar a manter os bichinhos, Phillips diz que conta com doações de vizinhos. Enquanto ela e o irmão se abrigavam e tentavam salvar os animais, o furacão matou cinco pessoas e atingiu mais de 13 mil casas.

Chella Phillips tem experiência no assunto, já que ela administra uma casa para cães desabrigados e abandonados. O projeto se chama "The Voiceless Dogs of Nassau, Bahamas", que já ajudou mais de mil cachorros desde que foi fundado, no ano passado.

Enquanto o furacão Dorian passava pelas Bahamas, ela e o irmão mal dormiram.

— Ele dormiu apenas por uma hora, e eu fiquei acordada durante a noite toda, enxugando a casa e tomando conta dos animais que estavam aterrorizados — afirmou a mulher.

Furacão Dorian avança para os EUA

O furacão Dorian avançava lentamente nesta quarta-feira (4) em direção à costa sudeste dos Estados Unidos como uma tempestade perigosa de categoria 2, depois de provocar mortes e deixar um rastro de destruição nas Bahamas. Segundo o Centro Nacional de Furacões (NHC) americano, a "tempestade avançará perigosamente para a costa leste da Flórida e a costa da Geórgia na quarta-feira à noite".

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, pediu prudência.

"Pode ser que os Estados Unidos tenham um pouco de sorte a respeito do furacão Dorian, mas, por favor, não baixem a guarda", tuitou o presidente. "Enquanto segue para a costa, podem acontecer coisar muito ruins e imprevisíveis", completou.

O Pentágono informou que 5 mil membros da Guarda Nacional e 2,7 mil militares estão prontos para atuar em caso de necessidade. Na Flórida, os efeitos de Dorian já eram sentidos, com fortes chuvas e possíveis tornados. Em Coconut Grove, os residentes reuniam provisões para atender as vítimas do arquipélago.

Colunistas