nsc
dc

Investigação

Mulher pagou R$ 1,1 milhão para matar companheira do ex-marido em Chapecó

Matador paraguaio foi contratado para simular latrocínio. Vítima sobreviveu a tiro na cabeça

26/09/2019 - 14h39 - Atualizada em: 27/09/2019 - 18h41

Compartilhe

Darci
Por Darci Debona
Polícia Civil de Chapecó esclareceu tentativa de homicídio motivada por ciúmes
Delegado Vagner Pappini (c) concedeu entrevista coletiva sobre a investigação
(Foto: )

Uma mulher de 63 anos prometeu pagar R$ 1,1 milhão para uma cartomante encomendar a morte da atual companheira do ex-marido, de quem estava separada há cerca de quatro anos. A tentativa de homicídio foi no dia 3 de junho, por volta das 13h30min, na rua Marechal Deodoro, no Centro de Chapecó.

Um homem chegou numa motocicleta e aguardou a vítima. Quando ela chegou ele efetuou os dois disparos, sendo um na cabeça, com uma pistola 765. Depois pegou a bolsa e fugiu na motocicleta. No entanto ele acabou sendo capturado por guardas municipais no bairro Universitário.

O autor dos disparos, de 29 anos, morava no Paraguai. A vítima, uma mulher de 48 anos, teve um projétil alojado na cabeça mas passou por cirurgia, sobreviveu e passa bem segundo a Polícia Civil.

- O crime foi contratado para parecer um latrocínio. Mas causou estranheza o fato de ter atirado na cabeça para levar uma bolsa com pouco dinheiro e celular. Investigamos todos os dias um pouco e, também graças à captura do autor, descobrimos que foi uma tentativa de homicídio. A mandante era a ex-mulher do marido da vítima, que confessou ter agido por ciúmes – disse o delegado Vagner Pappini, em entrevista coletiva.

A mandante teria dado R$ 340 mil em cheques para a cartomante e mais R$ 800 mil após o crime. Segundo a Polícia, o marido da cartomante teria ido até Ciudad Del Este, no Paraguai, e contratado o paraguaio por R$ 15 mil antecipado e mais R$ 20 mil depois do crime. Após a prisão dele a mandante teria sustado os cheques, exceto um no valor de R$ 50 mil.

De acordo com o delegado Vagner Pappini a Polícia conseguiu fazer a reconstituição dos passos do autor dos disparos, até chegar nos envolvidos. Além do paraguaio está presa também a cartomante. A mandante estaria colaborando com as investigações e por isso ainda não foi presa.

Polícia procura Fabiano Aristides
Suspeito de contratar paraguaio está foragido
(Foto: )

O marido da cartomante, Fabiano Aristides, de 37 anos, está foragido. A Polícia até divulgou sua imagem. Segundo o delegado a prisão é imprescindível para concluir o inquérito. Também serão ouvidos formalmente a vítima e o marido, além dos policiais e agentes ouvidos na ocorrência.

Pappini destacou que os envolvidos devem ser indiciados por homicídio triplamente qualificado, por traição, torpeza e promessa de recompensa. As penas variam de 12 a 30 anos de reclusão, tendo redução pelo fato da vítima ter sobrevivido.

Ainda não é assinante? Assine e tenha acesso ilimitado ao NSC Total, leia as edições digitais dos jornais e aproveite os descontos do Clube NSC.

Deixe seu comentário:

Últimas notícias

Loading interface... Todas de Polícia

Colunistas