nsc

publicidade

Saúde

Mutirão contra a endometriose vai possibilitar cirurgias menos invasivas em Blumenau

Iniciativa é de um grupo de cirurgiões da cidade e permite às mulheres uma recuperação melhor, além de reduzir as filas de espera

07/01/2019 - 09h58

Compartilhe

Talita
Por Talita Catie
(Foto: )

Uma iniciativa inédita em Blumenau vai permitir que pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) com diagnóstico de endometriose saiam mais rápido da fila de espera por cirurgia. De quebra, elas passarão um procedimento diferente do convencional. São as chamadas cirurgias minimamente invasivas, em que a recuperação é melhor, com menos dor e menores índices de complicações.

O primeiro mutirão inicia amanhã. Cinco cirurgiões do Hospital Santa Isabel farão os procedimentos sem custo algum às oito mulheres selecionadas na rede municipal de saúde, onde aguardam pela cirurgia no modelo convencional. O idealizador Charles Jean Berger, especialista em ginecologia, explica que se trata de uma espécie de Parceria Público-Privada.

– Os médicos estão doando seu tempo, as empresas materiais cirúrgicos e o SUS custeia a internação. A paciente não paga nada. É uma maneira justa de nós colaborarmos com uma pequena parcela de resolução de problemas da sociedade e mostrar que a gente tem boa vontade, não só trabalhando com paciente de convênios e particulares, visando a lucratividade. Nós temos que ter nossa parcela social – defende ele ao apontar ainda a importância de mostrar ao governo os benefícios das cirurgias minimamente invasivas.

Segundo o médico, a ideia é que até o fim de 2019 mais quatro mutirões do gênero ocorram em Blumenau. Além disso, no decorrer da primeira edição cerca de 30 profissionais de todo o Médio Vale do Itajaí devem acompanhar os procedimentos, que serão comandadas por uma referência na área, o ginecologista Cláudio Crispi.

–Nós também queremos sensibilizar outros médicos e hospitais da região para que eles possam contribuir em suas cidades. O médico de Indaial, de Gaspar, de Brusque ele pode fazer a cirurgia lá e ajudar a reduzir a espera das pacientes – afirma Berger ao reconhecer que a equação precisa ser positiva também para os hospitais, por isso as cirurgias no mutirão serão intercaladas com procedimentos particulares.

Sobre a doença

A endometriose consiste no crescimento anormal de um tecido fibrótico fora do útero – causa uma fibrose intensa, que gera dor pélvica, hemorragia, sintomas digestivos e urinários, além da possibilidade de tornar a mulher infértil. Acomete na sua forma profunda o útero, intestino grosso e bexiga. Pode também implantar-se, em alguns casos, em outros órgãos abdominais. São sintomas da endometriose a dor pélvica, alteração do ciclo menstrual, dor ao evacuar ou urinar, além de dificultar ou até impossibilitar a mulher de engravidar.

Deixe seu comentário:

publicidade