nsc

publicidade

Sem gols

Na despedida de Marquinhos, Avaí e Figueirense ficam no 0 a 0 

Galego deixa o campo no intervalo e recebe homenagem pelo encerramento da carreira 

17/03/2019 - 17h56 - Atualizada em: 17/03/2019 - 18h00

Compartilhe

Guto
Por Guto Marchiori
Com muita marcação e pouca inspiração, partida ficou sem gols
Com muita marcação e pouca inspiração, partida ficou sem gols
(Foto: )

A despedida da carreira do meia Marquinhos terminou sem gols. Avaí e Figueirense ficaram no 0 a 0 na tarde deste domingo, na Ressacada, pela 13ª rodada do Campeonato Catarinense. O clássico de número 445 também marcou a estreia de Douglas, principal reforço azurra para a temporada. O placar mantém o jejum de três anos. Esse é o período que o Leão não vence o arquirrival em seu estádio. O último triunfo foi por 1 a 0, com gol de William Batoré, em 2016.

Apesar de minoria, a torcida do Figueirense deixou a Ressacada mais feliz. Além de manter a invencibilidade no Estadual, a equipe foi a 27 pontos e manteve a primeira colocação — precisa secar a Chapecoense. O Avaí foi aos 24, permanecendo na zona de classificação às semifinais do Catarinense.

O jogo

Com Marquinhos atuando de falso 9, Geninho reforçou o meio de campo do Avaí com a presença de André Moritz. E foi justamente o camisa 30 o responsável por levantar a torcida aos cinco minutos. Ele lançou para Getúlio, que demorou para finalizar e, quando fez, acertou a zaga do Figueirense. Os visitantes criaram excelente chance de gol aos 14. Willian Popp tocou por cima de Vladimir, que deu dois passos para trás e com um tapa mandou a bola pela linha de fundo.

A oportunidade mais clara do Alvinegro foi aos 20. Betinho puxou contra-ataque pelo lado direito e cruzou, a bola desviou na zaga do Avaí e sobrou para Popp bater de primeira. Ele errou o alvo. Hemerson Maria se viu obrigado a mexer no Figueirense por conta de lesão de Matheus Lucas. João Diogo foi para o campo. Aos 26, ele bateu rasteiro pela linha de fundo. Três minutos depois, Moritz não acertou em cheio e a sobra ficou com Pedro Castro, que isolou de dentro da área.

Mudança

No intervalo, o meia Marquinhos deixou o campo para a entrada de Daniel Amorim. O camisa 10 foi homenageado pela diretoria, deu a volta olímpica chorando e fez o créu pedido pela torcida. Por fim, passou a faixa de capitão ao zagueiro Betão.

Passada a festa, o foco voltou a ser o clássico. A torcida azurra empurrava o time, que em campo tentou responder com o artilheiro Daniel Amorim. Aos 12, o camisa 28 arriscou de cabeça, mas mandou por cima do gol. Quatro minutos mais tarde, o Leão foi salvo por Betão. O zagueiro tirou quase em cima da linha, evitando o arremate de João Diogo.

A Ressacada explodiu aos 20. Foi no momento que Geninho chamou Douglas. Usando a camisa 82, o meia estreou pelo Avaí. E a partir daí a pressão foi azurra. Aos 26, Daniel Amorim fez o cruzamento, Pereira desvia para afastar e a bola bate na trave do Figueirense. Aos 29, Getúlio foi lançado, invadiu a área e bateu de esquerda para ótima defesa do goleiro Denis.

O Avaí seguiu tentando o gol da vitória. Aos 32, Daniel Amorim aproveitou cruzamento de Douglas e cabeceou com perigo. Também pelo alto surgiu um lance polêmico. Aos 35, Pedro Castro fez o levantamento e Marquinhos Silva desviou antes de cair dentro da área. Apesar da reclamação, o árbitro Bráulio da Silva Machado nada assinalou.

Com poucos minutos jogados, no entanto, o meia Douglas sentiu uma lesão na coxa e passou a ser apenas figurativa dentro do campo, já que não conseguia correr por conta da dor muscular. Nos acréscimos, Amorim ainda testou firme e Denis fez o milagre para garantir o 0 a 0.

Próximos jogos

A dupla da Capital volta a jogar na quarta-feira. Às 20h30min, o Figueirense visita o Metropolitano, no Estádio do Sesi, em Blumenau. Já o Avaí recebe o Marcílio Dias, às 21h30min, na Ressacada. Os jogos são pela 14ª rodada do Estadual.

FICHA TÉCNICA

AVAÍ — 0

Vladimir; Alex Silva (Julinho), Marquinhos Silva, Betão e Iury; Pedro Castro, Matheus Barbosa, André Moritz (Douglas) e Marquinhos (Daniel Amorim); João Paulo e Getúlio.

Técnico: Geninho.

FIGUEIRENSE — 0

Denis; Alemão Teixeira, Pereira, Ruan Renato e Matheus Destro; Zé Antônio, Betinho e Juninho (Patrick); Alípio (Rubens), Willian Popp e Matheus Lucas (João Diogo).

Técnico: Hemerson Maria.

CARTÕES AMARELOS: Daniel Amorim, Iury e Marquinhos Silva (A). Alemão Teixeira Pereira e Zé Antônio (F).

ARBITRAGEM: Bráulio da Silva Machado, auxiliado Kleber Lúcio Gil e Alex dos Santos.

BORDERÔ: 14.397 torcedores e renda de R$ 361.735,00.

LOCAL: Ressacada, em Florianópolis.

Deixe seu comentário:

publicidade