nsc
an

Chuvas

Norte de SC é a região mais prejudicada pelas chuvas no Estado. Veja a cobertura

Oito cidades decretam situação de emergência e duas estado de calamidade pública

08/06/2014 - 08h15 - Atualizada em: 20/06/2014 - 07h43

Compartilhe

Por Redação NSC
De bote, Reginaldo e Vânia Dias transportavam colchão em Guaramirim, que tem 15 mil pessoas desalojadas
De bote, Reginaldo e Vânia Dias transportavam colchão em Guaramirim, que tem 15 mil pessoas desalojadas
(Foto: )

O Norte de Santa Catarina é a região mais atingida pela cheia, que deixou mais de 16 mil pessoas desalojadas. No Estado, pelo menos 24 cidades foram afetadas. Oito decretaram situação de emergência e Guaramirim e Rio Negrinho, estado de calamidade. Há quatro feridos, comunidades ilhadas, acessos interrompidos, aulas suspensas, energia e abastecimento comprometidos.

:: Confira a situação das cidades na manhã desta segunda-feira ::

A região Norte de SC voltou a reviver o drama das inundações neste fim de semana. O Vale do Itapocu e o Planalto Norte foram as regiões mais atingidas, com pelo menos 200 famílias desabrigadas e centenas de desalojados.

Só em Guaramirim, foram 15 mil desalojados, de acordo com o último boletim da Defesa Civil Estadual. Quatro cidades - Corupá, Mafra, Jaraguá do Sul e Canoinhas - decretaram situação de emergência e Guaramirim e Rio Negrinho de calamidade pública.

Jaraguá do Sul foi a cidade do Estado com maior volume de chuva: 353 mm entre sexta-feira e a tarde de domingo. Houve cheia dos rios Itapocu, Cerro e Jaraguá. O Exército está na cidade desde a manhã deste domingo para ajudar na operação. Segundo o diretor da Defesa Civil Municipal, Marcelo Heinz Prochnow, as localidades próximas ao rio Itapocu ficaram intransitáveis.

Os bairros mais afetados são Vila Nova, Três Rios do Norte, Três Rios do Sul, Ilha da Figueira, Centro, Vila Lenzi, Czerniwewicz e Nereu Ramos. Quase 9 mil casas ficaram sem luz e até o fim do dia de ontem havia 43 pessoas em abrigos.

Em Guaramirim, o pluviômetro instalado na Reserva Particular do Patrimônio Natural Santuário Rã-bugio registrou 303 mm de chuva. As principais ruas da cidade ficaram debaixo d´água. A cidade ficou ilhada. Para entrar e sair, só de barco. As pontes Bartolomeu Stezia e Ponte Zindars foram interditadas.

Algumas escolas estão servindo de abrigo para as famílias atingidas, como a de Reginaldo Dias, que conseguiu uma carona em um bote para resgatar alguns pertences. Entre as prioridades, estavam colchões, cobertores, roupas e documentos pessoais.

Confira imagens dos estragos causados pelas chuvas no Norte de SC:

- Consegui um cantinho para ficarmos até a água baixar. Por sorte, erguemos nossas coisas e ainda a água não chegou - afirma.

Houve também diversos deslizamentos e desmoronamentos na cidade. No mais grave, duas crianças e dois adultos ficaram feridos. A casa da família, no bairro Nova Esperança, foi atingida por um deslizamento.

Os Bombeiros Voluntários foram chamados por volta das 6h15 deste domingo e a família foi encaminhada ao Hospital Santo Antônio. Djonatan Eduardo Klitzke, de oito anos, teve de ser transferido para Joinville no helicóptero Arcanjo. Ele está na UTI pediátrica do Hospital Infantil em estado grave.

Em Mafra, dois rios transbordaram e mais de 3,5 mil casas ficaram sem energia elétrica. As aulas foram suspensas e 80 famílias estão desabrigadas e estão em quatro abrigos em ginásios, escola e igreja. O Centro da cidade e a Vila Argentina foram os locais mais afetados. O trânsito nas BRs-280 e 116 ficou intransitável. Houve queda de barreira e a pista foi interditada no km 108,8 da Serra do Espigão.

Em Canoinhas, também no Planalto Norte, os moradores chegaram a abrir uma rua para escoar a água que invadiu as casas. O único acesso à cidade é pela avenida Expedicionário. Uma vítima que estava sendo levada pela água foi resgatada. O nível do rio Canoinhas que é de 1 metro em dias normais chegou a 5 metros e 60 centímetros.

Já em Rio Negrinho, o terminal rodoviário ficou coberto pela água, que passou de 9 metros em alguns pontos da cidade. A prefeitura já enviou a documentação decretando estado de calamidade pública. 3 abrigos foram abertos. Ainda não há um levantamento de desalojados, sabe-se que 12 famílias estão desabrigadas. Choveu mais de 300 milímetros na cidade que registrou 15 deslizamentos sem vítimas.

Na BR 280, o km 128, em Rio Negrinho, precisou ser interditado por conta de alagamentos. Os veículos tiveram que ser desviados por dentro da cidade. O mesmo acontece no km 141. No fim da tarde a água subia cerca de 5 cm por hora.

Acompanhe a cobertura das chuvas no Norte de SC:

Vídeo: criança é resgatada em Guaramirim

Colunistas