nsc
santa

publicidade

Mudança

Novas sedes, maior efetivo e apoio popular: as prioridades do Delegado Regional de Blumenau

Delegado Isomar Amorim tomou posse do cargo nesta segunda-feira, substituindo o delegado Egídio Ferrari, e comentou sobre as próximas ações da Polícia Civil

11/11/2019 - 21h03 - Atualizada em: 12/11/2019 - 10h17

Compartilhe

Gabriel
Por Gabriel Lima
Isomar Amorim delegado regional de Blumenau
Isomar Amorim tem 51 anos e assumiu o cargo oficialmente nesta segunda-feira.
(Foto: )

Em auditório lotado de autoridades, o delegado Isomar Amorim tomou posse oficialmente como chefe da 3ª Delegacia Regional de Blumenau na tarde desta segunda-feira (11), em solenidade na sede da Ampe. Na prática, Amorim está no cargo desde 1º de novembro, tempo em que conheceu os policiais da região e as atividades que estão sendo desenvolvidas na estrutura.

A mudança ocorreu pouco mais de um ano após Isomar Amorim ter assumido a 1ª Delegacia de Polícia Civil de Blumenau, localizada no bairro Jardim Blumenau. Se antes comandava o serviço policial de uma região do município, agora será o responsável por gerir todas as delegacias de Apiúna, Ascurra, Benedito Novo, Blumenau, Doutor Pedrinho, Gaspar, Ilhota, Indaial, Pomerode, Rio dos Cedros, Rodeio e Timbó.

Antes de vir para Blumenau, Amorim também comandou a Delegacia de Proteção à Criança, Adolescente, Mulher e Idoso (Dpcami) de Rio do Sul, no Alto Vale do Itajaí. O novo delegado regional é natural de Imbituba e tem 51 anos, estando no quadro efetivo da Polícia Civil desde 1996.

A troca das sedes das delegacias de Blumenau deve ser a primeira marca da gestão de Amorim. Apesar de não detalhar prazos, ele afirmou que há processos licitatórios em andamento com objetivo de alugar prédios que sejam mais adequados para a atividade da Polícia Civil.

O novo delegado regional de Blumenau também afirma que há necessidade permanente por aumento de efetivo. Ele considera que a região tem quadro de policiais defasado, assim como as demais delegacias do Estado. Entretanto, afirmou que novos agentes devem vir para Blumenau em breve, quando a academia terminar a formação de delegados, escrivães e agentes de Polícia Civil.

Participação da sociedade nas investigações

Outro ponto ressaltado pelo delegado recém-empossado é a contribuição da população. Ele destacou que os moradores da região podem auxiliar o trabalho dos agentes utilizando os canais de Disque Denúncia da Polícia Civil, o que pode colaborar em investigações e prevenir possíveis crimes.

— Queremos que a nossa população esteja tranquila. Ao mesmo tempo, a gente pede que os moradores sejam ativos passando informações, fazendo denúncias e auxiliando a polícia de uma forma geral.

O novo delegado regional de Blumenau elencou que o maior desafio do cargo é manter os bons índices da segurança pública de Blumenau e conseguir avançar nas investigações criminosas de forma rápida. Ele indicou que a Polícia Civil pode desenvolver ainda mais o trabalho de inteligência para conseguir resolver os crimes e que deve fazer algumas alterações pontuais na equipe com quem irá trabalhar.

— É um trabalho bastante difícil pela imensidão da área. Nós temos uma população muito expressiva da região, com Blumenau sendo a terceira maior cidade do Estado e as cidades em torno não são pequenas. Então a nossa densidade demográfica é muito grande.

Cumprimento do antigo delegado regional, Egídio Ferrari (E), e o atual, Isomar Amorim (D)
Cumprimento do antigo delegado regional, Egídio Ferrari (E), e o atual, Isomar Amorim (D)
(Foto: )

Incógnita sobre investigação dos grandes assaltos

O delegado-geral de Polícia Civil em Santa Catarina, Paulo Koerich, também esteve na solenidade e comentou sobre o andamento das investigações sobre os dois grandes assaltos que ocorreram neste ano em Blumenau: no Aeroporto Quero-Quero e a uma agência bancária na Itoupava Central. Ele afirmou que ambas as situações foram inusitadas e estão sendo apuradas, mas que não podem ser detalhadas neste momento pelo risco de atrapalhar as investigações.

— Eu posso dizer que esses crimes aconteceram de forma isolada. Infelizmente ocorreram dois em Blumenau, mas não é rotineiro em Santa Catarina, tanto que não tinham acontecido anteriormente. Para tanto, estamos trabalhando e vamos apresentar uma resposta à sociedade catarinense.

O antigo delegado regional de Blumenau, Egídio Ferrari, afirma que pediu para deixar o cargo após um ano por incompatibilidade de perfil. Ele pediu para retornar ao comando da Divisão de Investigação Criminal de Blumenau, posição em que deve ter atividades mais operacionais com foco na investigação de homicídios.

Deixe seu comentário:

Últimas notícias

Loading interface... Todas de Polícia

publicidade

Colunistas

    publicidade

    publicidade

    publicidade