nsc

publicidade

Tecnologia

Novo sistema de inteligência de dados vai facilitar estratégias de gestão da Secretaria de Educação de Santa Catarina 

Novidade foi apresentada na manhã desta sexta-feira em Florianópolis

28/06/2019 - 12h18 - Atualizada em: 28/06/2019 - 16h06

Compartilhe

Caroline
Por Caroline Stinghen
Sistema conta com apoio de dados em gráficos e mapas do calor para ajudar a leitura dos números
Sistema conta com apoio de dados em gráficos e mapas do calor para ajudar a leitura dos números

A Secretaria de Estado de Educação (SED) passa a contar com uma novidade que pretende facilitar tomadas de decisões e ações estratégicas de melhoria nas áreas pedagógica e estrutural das escolas de Santa Catarina. Na manhã desta sexta-feira (28), foi apresentado um sistema de inteligência de dados, inédito no país segundo a SED, que reúne mais de 10 milhões de registros processados a partir do uso de Big Data, que é a tecnologia de processamento de grandes volumes de dados.

O sistema foi idealizado e criado por uma própria equipe interna da SED, que desenvolveu uma plataforma para visualização de gráficos, tabelas e mapas de calor, dividiu os dados apresentados em três blocos. Parte das atualizações do sistema é mensal, como os dados de frequência dos alunos; parte trimestral, o que compreende os ciclos de avaliação escolar, e parte anual, acompanhando a divulgação da posição das escolas catarinenses em pesquisas e relatórios no âmbito nacional.

Se antes as gerências regionais de educação às vezes sequer sabiam o número exato de alunos matriculados em escolas estaduais de sua região, a partir de agora, este dado está na palma da mão. Hoje sabemos que o Estado possui exatamente 527.839 alunos matriculados. E também se sabe quantos alunos têm em cada escola, suas idades e respectivas séries, quantos turnos são disponibilizados em cada unidade, quais disciplinas, quantos professores. Dados ainda mais detalhados já estão sendo analisados como as notas de cada turma e em cada disciplina.

De acordo com o secretário Natalino Uggioni, o governo tem prioridade para tratar questões do Ensino Médio, seja em diminuir os índices de evasão escolar, da distorção idade-série, de faltas e também de notas baixas. Com este sistema, os gestores da educação poderão identificar mais facilmente as raízes dos problemas e definir investimentos em quatro áreas: compra de materiais; recursos humanos (questão pedagógica); recursos financeiros; e entorno – neste caso, tratando se o problema está em questões como segurança e saúde da comunidade que a escola está inserida.

— O que não podemos medir, também não conseguimos controlar. Por isso o sistema de inteligência de dados nos dá segurança para o planejamento estratégico e nos ajuda a lidar com grandes preocupações. Santa Catarina é o pior estado no Brasil em distorção idade-série e precisamos atuar fortemente para mudar esta realidade. O sistema nos dá um nível de informação que vai da rede completa até a unidade escolar — complementou o secretário de Educação.

Para dar um exemplo bem claro e simples, se for identificado um índice alto de faltas na disciplina de educação física em uma determinada escola, isto pode estar diretamente ligado ao fato de a escola não possuir um ginásio. Com esta informação, a SED pode definir melhor os investimentos para obras.

As informações serão compartilhadas a partir desta sexta com gestores da educação, de forma gradativa. Até o final de julho, explicou ainda o diretor de planejamento de políticas educacionais, Altir Webber de Melo Neto, painéis com a tela inicial do sistema, com as principais informações sobre cada unidade, serão instalados em todas as escolas do Estado.

Deixe seu comentário:

publicidade