nsc

publicidade

Esperança

Novo técnico da Chapecoense convoca torcida

Marquinhos Santos quer resgatar força da Arena Condá, que sentiu treinando Coritiba, Bahia e Figueirense

17/09/2019 - 11h26 - Atualizada em: 17/09/2019 - 14h56

Compartilhe

Darci
Por Darci Debona
Novo técnico da Chapecoense
Marquinhos Santos quer resgatar a identidade da Chapecoense, principalmente na Arena Condá
(Foto: )

Em sua apresentação como novo técnico da Chapecoense, no final da manhã desta terça-feira, na Arena Condá, Marquinhos Santos convocou a torcida para fazer a diferença na luta para sair da zona de rebaixamento. Ele lembrou que, nas vezes em que atuou contra o Verdão na Arena Condá, sempre foi muito difícil. E agora chamou o torcedor para voltar ao estádio e dar seu apoio incondicional.

- Confio no trabalho, confio o grupo, no Michel (Gazola, gerente de futebol) mas, principalmente, na torcida. Tive oportunidade de jogar aqui treinando Coritiba, Bahia e Figueirense e sei da dificuldade de jogar na Arena Condá. Essa torcida que levou a conquistas nacionais e internacional tem que voltar a fazer a diferença. Nessa hora temos que estar juntos. O torcedor tem que ser nosso décimo segundo jogador - disse o técnico.

Marquinhos Santos falou que não é hora de falar em rebaixamento, que 2020 está longe e tem 19 decisões daqui para frente. Disse que todos tem que mentalizar bons resultados.

Para o novo técnico, são nove time na briga para permanecer na Série A. E a Chapecoense precisa superar cinco. E disse que o elenco tem condições para isso.

-Quando um clube que tem a história da Chapecoense te faz um convite você não pode negar. Mas o que me fez aceitar esse desafio primeiro foi a análise do grupo de atletas. Vejo um elenco com bom potencial. A Chapecoense não tem time para brigar pelas primeiras posições mas também não é para estar onde está - destacou

Falou que tem experiência em evitar rebaixamentos de equipes, sendo duas vezes pelo Coritiba, na Série A, em 2012 e 2014, e outras pelo São Bento e Paysandu, em séries inferiores.

E é com essa experiência que o técnico traz esperança para a Chapecoense, que precisa de um aproveitamento superior a 50% para escapar do descenso. Com 14 pontos em 19 jogos, o time é o penúltimo na tabela do Brasileirão, com um ponto a mais do que o Avaí.

À tarde o técnico comanda seu primeiro trabalho com os jogadores. Ele afirmou que o primeiro passo é encontrar um time entre os 35 atletas disponíveis. E que a reação tem que começar já no domingo, contra o Inter, , 11h,no Beira Rio.

O gerente de futebol da Chapecoense, Michel Gazola, negou que o técnico tenha vindo "emprestado" do Juventude, onde conquistou o acesso para a Série B e estava disputando a semifinal da Série C. O diretor afirmou que entrou em contato com o treinador, houve acerto entre o técnico e o clube gaúcho e que o contrato com a Chapecoense vai até 31 de dezembro de 2019. Depois disso pode haver a renovação com a Chapecoense, retorno para o Juventude ou outra situação.

Deixe seu comentário:

publicidade