nsc
    an

    Cultura

    Novos gêneros young adult e new adult são febre entre os leitores

    Obras como A Culpa É das Estrelas, Jogos Vorazes e Seraphine são exemplos desta novidade

    09/05/2015 - 06h02

    Compartilhe

    Por Redação NSC
    Letícia Caroline e Tiago aderiram aos novos gêneros
    Letícia Caroline e Tiago aderiram aos novos gêneros
    (Foto: )

    Apesar da percepção de que os jovens estão cada vez mais conectados e menos interessados em livros, o mercado editorial está crescendo. Não por acaso, foram criados novos gêneros para suprir essa necessidade dos novos leitores, como young adult, de olho nos jovens adultos, de 13 e 18 anos; e o new adult, para novos adultos, voltado para pessoas entre 18 e 25 anos.

    Não que as idades sejam realmente a divisão destes gêneros, pois os gostos se misturam e para ler não tem idade. O que difere, na verdade, um young adult de um new adult são as características, os temas abordados.

    De qualquer forma, os livros estão aí para jovens e adultos: A Culpa é das Estrelas, Jogos Vorazes, Seraphine, O Segredo de Indie, Easy, Sob Julgamento, Eu Escolhi Respirar, Amor Fora do Ar são alguns exemplos. E independente mente da correria do dia a dia, eles são válidos para garantir o aumento das leituras dos jovens e podem ainda servir de "portas de entrada" para outros títulos da literatura. Para Denia Dutra, autora de Sob Julgamento - um new adult -, publicado pela editora Pandorga, o aumento das leituras dos jovens é apenas uma consequência gerada a partir desta demanda.

    - Se olharmos para nossos clássicos, vemos enredos que exploravam os mesmos temas, inspirados na estrutura social e cultural da época. Hoje, outros temas aguçam a curiosidade juvenil. A leitura é algo muito pessoal, que estimula a imaginação e trabalha o íntimo de cada leitor. E nós, escritores, contribuímos com enredos que contemplam os novos gêneros literários.

    O new adult e o young adult vieram ao encontro das necessidades desses jovens e novos adultos. E, claro, se há uma demanda, o mercado busca supri-la enquanto houver espaço.

    - Nos últimos anos, tivemos um aumento significativo na oferta de títulos para esse público. Podemos afirmar, com toda certeza, que é um mercado em franca expansão. Segundo dados do Instituto Pró-Livro, observou-se que, nos últimos três anos, houve um crescimento superior a 20% nessa categoria. Em conjunto com as livrarias e sites que vendem os livros, é importante destacar a contribuição dada pelos blogs literários, que indicam quais são as boas leituras. O diferencial que atrai o jovem é justamente esta união entre internet, mídias sociais e leitura - explica Flavio Machado, editor da Butterfly Editora, que lançou o young adult O Segredo de Indie.

    Uma leitura do cotidiano

    Alguns livros foram lançados exclusivamente para atingir esse novo público. Outros acabaram sendo sucesso. Os livros Eu Escolhi Respirar, de Rebecca Donovan, e Sob Julgamento, por exemplo, têm características marcantes do gênero new adult. Se encaixam em histórias de vida trágicas (cenas de tortura, personalidade antissocial, com problemas psicológicos). São histórias envolventes, de conflito, que chocam e que podem trazer esperança.

    - São exatamente as características que aguçam a alma desses leitores. É a estampa da vida. Sentimentos mesclados, distúrbios emocionais, a desconstituição familiar, os conflitos. Nesse contexto, os exemplos de superação frente aos desafios. É uma fase de transição para esses novos adultos, que de repente têm que encarar a responsabilidade exclusiva sobre suas decisões e ações, que refletirão no futuro - diz a escritora Denia Dutra.

    Thaluana Catherine Meira, publisher da Pandorga, acredita que essas obras colocam as personagens ao alcance de todos, assim como seu universo.

    - Nossas admirações, gostos, crenças e preferências são relatados em livros de leitura simples e de boa fluência. Como não iria agradar?

    Por isso, a busca em abordar o cotidiano acaba sendo a linha condutora destes gêneros, caindo no gosto de pessoas de todas as idades.

    - Acreditamos que o livro tenha que trazer aspectos do cotidiano para que o leitor sinta-se identificado com a história e, ao mesmo tempo, um elemento de fantasia, que possa dar vazão aos seus sonhos. A fantasia é necessária para que a vida não se torne fria e monótona. Ela dá à vida um toque de romantismo e criatividade - diz Thaluana.

    Troca-troca na literatura

    A Culpa é das Estrelas foi a porta de entrada para outros livros do gênero na casa da jornalista Letícia Caroline Silva Jensen e do analista de sistemas Tiago Jensen. A busca por diferentes títulos fez com que o incentivo na hora de ler fosse maior, afinal, os dois trocam de livros o tempo todo, onde a mesma história promove diferentes sentimentos.

    Enquanto Letícia, 27, lia A Culpa, Tiago, 30, foi a fundo nas páginas de Cidades de Papel. Depois, vice-versa. Segundo eles, os dramas dessas histórias não são simples, mas a narrativa é, tornando o livro envolvente. Tratam-se de crise existencial, problemas familiares e dúvidas que cercam o cotidiano de várias pessoas. Na maioria, são personagens descolados e superfelizes na frente dos outros, mas que sofrem dramas internos.

    - Muitos têm citações filosóficas com referências e aí você acaba buscando, lendo outras coisas e chegando até nos clássicos. São simples, mas com o conteúdo denso. E se jovens estão lendo obras assim, está ótimo - completa Tiago, que, às vezes, troca de livro com o vizinho de 15 anos.

    Agora, Jogos Vorazes entrou na lista de leitura do casal. O que chama atenção de todos estes livros, é o destaque para os personagens femininos.

    - Mesmo os autores sendo homens, eles conseguem explorar o universo feminino sem machismo, sem rótulos. São personagens fortes - acredita Letícia.

    E a leitura vai agradando, daqui e dali, por causa desses detalhes, dessas situações: o novo adulto se identifica com o jovem adulto e o jovem adulto, com sua eterna ansiedade, busca conhecer o novo adulto.

    :: As características

    Young Adult

    - Conflitos com a família.

    - Traição entre amigos.

    - Dúvidas com relação ao futuro profissional.

    - Busca pelo primeiro amor.

    - Personagens com autoestima baixa e complexo de inferioridade.

    - Personalidade influenciável.

    - Excesso de dramatização dos acontecimentos.

    - Descoberta da sexualidade.

    - Ambiente escolar (geralmente com rixas entre populares e nerds, e prática de bullying).

    New Adult

    - Histórias de vida trágicas.

    - Descrição de cenas de tortura e abuso sexual.

    - Busca pelo autoconhecimento, libertação ou recomeço.

    - Personagens com problemas psicológicos em decorrência de traumas do passado.

    - Algum tipo de dependência (seja psicológica, seja química).

    - Personalidade mais agressiva ou antissocial.

    - Ambiente universitário.

    - Sublimação do amor.

    - Erotismo.

    Dicas de leitura young adult

    - O segredo de Indie, de Tara Taylor & Lorna Schultz

    - Lily na passarela, de Nancy Rue

    - Quem é você, Alasca?, de John Green

    - Cidades de Papel, de John Green

    - Anna e o Beijo Francês, de Stephanie Perkins

    Dicas de leitura new adult

    - Sob Julgamento, de Denia Dutra

    - Eu escolhi respirar, de Rebecca Donovan

    - Easy, de Tammara Webber

    - Redenção de um cafajeste, de Nana Pauvolih

    - Amor fora do ar, de Jessica Park

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Cotidiano

    Colunistas