nsc
    dc

    Economia

    Número de famílias com contas atrasadas cai para 15,7% em SC 

    Pesquisa da Fecomércio-SC mostra que o catarinense fica, em média, 9,4 meses do ano comprometido com o pagamento de dívidas  

    15/04/2019 - 15h38

    Compartilhe

    Redação
    Por Redação DC
    (Foto: )

    Dados da Pesquisa de Endividamento e Inadimplência dos Consumidores catarinenses (Peic), feita mensalmente pela Fecomércio-SC, mostram que entre março e abril o total de famílias com contas atrasadas — ou seja, inadimplentes — caiu de 16,6% para 15,7%. Ao todo, cerca de 54,9% das famílias catarinenses possuem contas a pagar. Em março, esse total estava em 52,5%.

    De acordo com o relatório, os atuais níveis de inadimplência estão estáveis e condizentes com a situação econômica dos consumidores. O percentual, segundo análise da Fecomércio-SC, não apresenta risco elevado, já que o tempo médio com dívidas em atraso está em um patamar moderado, de 66,7 dias, contra os 68 dias no mês passado. A inadimplência que começa a preocupar, a partir dos 90 dias, permanece estável.

    A pesquisa ainda aponta que a parcela da renda comprometida com dívida está estável (28,5%). Já o indicador de tempo de comprometimento com dívidas subiu para 9,4 meses, nível considerado alto. A partir desse dado, a Fecomércio-SC entende que as dívidas estão sendo estendidas com mais frequência por conta do período de cautela da atividade econômica.

    Assim como foi observado em meses anteriores, entre março e abril o cartão de crédito continuou sendo o principal agente do endividamento, responsável pela expressiva maioria das dívidas (65,6%). Em seguida aparecem os carnês (41,6%), o financiamento de carro (27,3%) e financiamento de casa (22,4%).

    A pesquisa ainda projeta que cerca de 9,4% das famílias do Estado pode podem ficar inadimplentes, ou seja, não terão condições de arcar com o pagamento dos débitos. Em abril do ano passado, esse índice era de 9%.

    Entre as cidades pesquisadas, Florianópolis apresenta o maior percentual de consumidores com contas em atraso (67,5%), seguida de Blumenau (54%), Chapecó (45,6%) e Joinville (41,2%). Já no índice de inadimplência, Chapecó lidera a lista com 17,4%. Na projeção de consumidores que poderão atrasar as contas, Joinville registra o maior percentual, 10,9%.

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Economia

    Colunistas