publicidade

Política
Navegue por

Política

"O que está por vir pode derrubar o Capitão eleito", diz Carlos Bolsonaro

Vereador do Rio de Janeiro publicou vídeo de youtuber de direita sobre a "enorme pressão" sobre o presidente 

15/05/2019 - 23h08

Compartilhe

Por GaúchaZH

Ao compartilhar um vídeo de um youtuber de direita Daniel Lopez, o vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ) afirmou que "o que está por vir pode derrubar o Capitão eleito", em referência ao seu pai e presidente da República, Jair Bolsonaro.

O vídeo diz respeito às medidas provisórias, como a da reestruturação ministerial, que podem caducar e que tiveram as votações adiadas na Câmara dos Deputados nesta segunda-feira (15).

"O silêncio não tem nada a ver com a descoberta de seus devidos lugares. O que está por vir, pode derrubar o Capitão eleito. O que querem é claro!", afirmou Carlos Bolsonaro.

O vereador, entretanto, não deu detalhes do que pode "derrubar" o presidente.

Na segunda, partidos como PP e PRB decidiram deixar apenas para semana que vem a votação de textos como a medida provisória da reestruturação ministerial — que vence no dia 3 de junho — e MP que permite que estrangeiros controlem empresas aéreas no Brasil — com vencimento no próximo dia 22. Para não caducar, os textos precisam ser aprovados até as respectivas datas pelos plenários da Câmara e do Senado.

A MP da reforma administrativa deve ser a mais polêmica, com mudanças como a devolução do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) para o Ministério da Economia e a criação de dois ministérios. Caso ela perca validade, a estrutura do governo voltará a ser a da gestão Michel Temer, com 29 ministérios na Esplanada. Hoje, são 22.

Nesta quarta-feira (15), protestos em dezenas de cidades do Brasil reuniram milhares de pessoas contra o governo e os cortes na educação pública. Ao mesmo tempo, o ministro da educação, Abraham Weintraub, foi convocado para o plenário da Câmara dos Deputados para explicar o corte de verbas e ouviu, na tribuna, as reclamações de deputados do centrão e da oposição.

Deixe seu comentário:

publicidade

Navegue por
© 2018 NSC Comunicação
Navegue por
© 2018 NSC Comunicação