publicidade

Cotidiano
Navegue por

Tragédia no Rio de Janeiro

O que já se sabe sobre o incêndio no CT do Flamengo que matou 10 pessoas

Além dos dez mortos, outras três pessoas ficaram feridas com o fogo que tomou conta dos alojamentos da categoria de base do clube

08/02/2019 - 18h59

Compartilhe

Por GaúchaZH
Incêndio no CT do Flamengo
(Foto: )

Uma tragédia fez com que o mundo do futebol acordasse em luto. Um incêndio no Centro de Treinamento (CT) do Flamengo, o Ninho do Urubu, no Rio de Janeiro, matou 10 pessoas e deixou outras três feridas durante a madrugada desta sexta-feira (8).

O complexo fica em Vargem Grande, na Zona Oeste. O Corpo de Bombeiros foi acionado por volta das 5h, mas as chamas foram controladas somente às 7h20min.

O local abrigava seis contêineres que eram utilizados como alojamento das categorias de base do clube. Todos foram consumidos pelo fogo.

Ao todo, 26 jogadores estavam nos dormitórios. Todas as vítimas foram identificadas como atletas: nove da equipe sub-15 e um do time sub-17. Eles tinham entre 14 e 16 anos. Dois jovens são de Santa Catarina: Bernardo Pisetta, 14 anos, de Indaial, e Vitor Isaías Assunção, 15, de Florianópolis.

As causas oficiais do incêndio ainda não foram confirmadas pelas autoridades cariocas, mas informações preliminares apontam que um curto-circuito no ar-condicionado poderia ter motivado as chamas.

A possibilidade foi levantada pelo vice-governador do Rio, Cláudio Castro, durante coletiva de imprensa.

Durante a tarde desta sexta, o CT do Ninho do Urubu foi parcialmente interditado pela Subsecretaria de Proteção e Defesa Civil para perícia.

A prefeitura do Rio de Janeiro divulgou que, conforme documentação entregue pelo Flamengo, o local constava como um estacionamento. Ou seja, não estava autorizada a instalação de dormitórios.

Solidariedade pelo mundo

Logo após a confirmação da tragédia no CT do Flamengo, clubes de Santa Catarina e do mundo, além de jogadores e ex-atletas, se uniram em uma onda de solidariedade e consternação. Em Santa Catarina, o Avaí divulgou nas redes sociais uma homenagem ao clube carioca e às vítimas.

O Figueirense também prestou solidariedade, inclusive para Vitor Isaías Assunção, 15 anos, que atuou no futsal do clube e morreu no incêndio no CT do Flamengo.

Os técnicos Odair Hellmann, do Internacional, e Renato Portaluppi, do Grêmio, lamentaram os mortes e prestaram condolências às famílias das vítimas.

Os atletas de Grêmio e Inter também falaram sobre o assunto. Pelo lado colorado, Paolo Guerrero e Marcelo Lomba prestaram homenagens. Já entre os gremistas, Léo Moura e Felipe Vizeu se manifestaram em solidariedade. Os quatro têm passagens pelo Flamengo.

Pelo Brasil, clubes divulgaram mensagens de apoio. Com a tragédia, a Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj) adiou os jogos das semifinais da Taça Guanabara, que ocorreriam neste final de semana.

Situação dos feridos

Dos três sobreviventes do incêndio, Jhonatan Cruz Ventura é quem inspira maior cuidado. O jogador de 15 anos teve 40% do corpo queimado, passou por cirurgia no Hospital Lourenço Jorge e está em estado grave.

O atleta será transferido para o Hospital Pedro II, unidade referência no tratamento de queimados.

Francisco Diogo Bento Alves, 15 anos, está em estado considerado estável e seguirá em observação.

Cauan Emanuel Gomes Nunes, 14 anos, está lúcido e conversando. Ambos devem receber alta neste sábado (9).

Dois catarinenses estão entre os atletas que morreram após o incêndio que ocorreu no Centro de Treinamento (CT) do Flamengo, no Rio de Janeiro, na madrugada desta sexta-feira (8). Vitor Isaías, natural de Florianópolis, e Bernardo Pisetta, de Indaial, no Vale do Itajaí, estavam no alojamento no momento do incêndio.

Deixe seu comentário:

publicidade

Navegue por
© 2018 NSC Comunicação
Navegue por
© 2018 NSC Comunicação