nsc

publicidade

Fora

Odair Hellmann é demitido do Internacional

Técnico catarinense não resistiu à derrota para o CSA na última quarta-feira

10/10/2019 - 17h20 - Atualizada em: 10/10/2019 - 17h22

Compartilhe

Por Folhapress
Catarinense comandou a equipe por 116 partidas
Catarinense comandou a equipe por 116 partidas
(Foto: )

Odair Hellmann não é mais treinador do Internacional. Nesta quinta-feira, a diretoria do clube gaúcho se reuniu e confirmou aquilo que era uma tendência desde a madrugada. Ele não resistiu no comando após a derrota para o CSA, em Maceió, pela 24ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O tropeço na capital alagoana fez o Internacional acumular quatro rodadas sem vitória no Brasileiro. Antes do revés em Maceió, o Colorado empatou com Cruzeiro e Palmeiras e perdeu para o Flamengo. Odair estava no cargo há um ano e 10 meses, sendo o treinador mais longevo do Inter desde a década de 1970. Ao todo, ele comandou o time em 116 jogos com 60% de aproveitamento.

Mesmo com essa sequência negativa, o Inter continua na zona de classificação da Libertadores, ocupando o sexto lugar, com 38 pontos. No entanto, a equipe já é pressionada por Grêmio e Bahia, que somam o mesmo número.

Quem treina

A grande dúvida passa a ser, em um primeiro momento, quem comanda o time diante do Santos, domingo, na 25ª rodada do Brasileirão. Assim como a estratégia do clube no mercado: buscar um técnico até dezembro ou já alinhavar substituto de olho em 2020.

A demissão de Odair já estava desenhada desde o pós-jogo no estádio Rei Pelé. Os dirigentes demoraram mais de uma hora para manifestação tradicional, e Roberto Melo, vice de futebol, não garantiu o treinador no cargo. A partir disso, a saída foi considerada iminente.

O Inter aguardou o desembarque da delegação, pela manhã, e depois aproveitou reunião ordinária do Conselho de Gestão para tratar do tema. Odair foi avisado por Rodrigo Caetano, diretor executivo de futebol, da demissão. A ligação foi realizada por volta das 16h30min, em meio ao encontro no Beira-Rio.

Deixe seu comentário:

publicidade