nsc
an

Investigação

Prefeitura de Itapoá é alvo de operação que apura uso de funcionários públicos em campanha política

Foram extraídos dados dos computadores da prefeitura e apreendidos dois drones em uma casa

01/12/2020 - 11h26

Compartilhe

Hassan
Por Hassan Farias
Imagem da operação na prefeitura
Operação foi realizada na manhã desta terça-feira (1)
(Foto: )

A prefeitura de Itapoá foi alvo de uma operação na manhã desta terça-feira (1) no Litoral Norte de Santa Catarina. O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) cumpriu um mandado de busca e apreensão no local para extrair dados dos computadores e também apreendeu um drone.

> Quer receber notícias de Joinville e Norte de SC por WhatsApp? Clique aqui

Segundo o coordenador do núcleo do Gaeco em Joinville, promotor Ricardo Paladino, a operação investiga a contratação, por parte do prefeito Marlon Neuber, de dois funcionários públicos comissionados para confecção de material de campanha eleitoral usando a estrutura da prefeitura.

O Ministério Público emitiu nota afirmando que foi instaurado um inquérito para apurar atos de improbidade administrativa relacionados ao uso de agentes públicos em desvio de finalidade. É quando a estrutura pública é usada para executar serviços de cunho pessoal ou privado.

Ninguém foi preso na manhã desta terça-feira, já que a ação foi para cumprir mandados de busca e apreensão. Foram extraídos dados dos computadores do gabinete do prefeito e de sua assessoria, mas as máquinas não foram apreendidas para não paralisar os serviços municipais.

De acordo com o promotor, também foi cumprido outro mandado de busca e apreensão em uma casa da cidade, onde moram duas pessoas. No local, foram apreendidos celulares, computadores e dois drones. O material apreendido foi encaminhado para Joinville, onde passará por perícia. O Ministério Público de Itapoá também está ouvindo o depoimento de testemunhas.

Operação foi realizada na prefeitura de Itapoá
Operação foi realizada na prefeitura de Itapoá
(Foto: )

Segundo o Ministério Público, devido ao sigilo do caso pedido pelo promotor Luan de Moraes Melo para não prejudicar as investigações, não serão divulgados os nomes de eventuais agentes públicos e servidores possivelmente envolvidos.

O prefeito Marlon Neuber disse que desconhece o inquérito e a ação dos servidores. Ele divulgou vídeo nas redes sociais na última segunda-feira (30) para comunicar a renúncia do cargo em Itapoá. No entanto, Neuber volta à função em janeiro, já que foi reeleito nas eleições de 2020. Segundo ele, não há qualquer relação da operação realizada na prefeitura com a renúncia ao cargo.

> Motorista de aplicativo é encontrado morto dentro de casa em Joinville

Colunistas