nsc
    santa

    ESPECIAL DR. BLUMENAU 200 ANOS

    Os últimos anos de Hermann Blumenau: adeus à colônia, volta à Alemanha e morte

    Casamento, filhos, volta ao Brasil e a despedida da cidade que fundou; como foram as duas últimas décadas de vida de Dr. Blumenau

    06/09/2019 - 04h05 - Atualizada em: 10/09/2019 - 10h28

    Compartilhe

    Augusto
    Por Augusto Ittner
    Dr. Blumenau, já idoso.
    (Foto: )

    Passada a turbulência da década de 1850, tanto Hermann quanto a colônia Blumenau viveram momentos de mais bonança a partir de 1860, quando a localidade passou a ser estatal e os recursos para infraestrutura começam a vir com mais garantia por parte do governo imperial.

    Só que mesmo com essa mudança, Dr. Blumenau continuou como diretor, um pedido do próprio imperador Dom Pedro II, com quem o fundador mantinha uma relação próxima e de respeito, sempre buscando prestar contas de forma minuciosa.

    Sem a pressão por mendigar verbas, sobrou tempo até para a vida amorosa de Blumenau, da qual havia se desprendido desde o fim do noivado, logo que chegou ao Brasil para fundar a colônia.

    ESPECIAL: acesse a página sobre o Dr. Blumenau

    Em 1865, Hermann viajou para a Europa e casou-se, em 21 de maio de 1867, com Bertha Louise Repsold, com quem teria quatro filhos: Pedro Hermann, Christine, Gertrud e Otto. O quarto e último, porém, morreu cerca de 10 meses depois. O casal Blumenau então retorna à colônia em 1869, para dar sequência ao último período do fundador em solo brasileiro.

    Bertha Repsold e Dr. Blumenau.
    Bertha Repsold e Dr. Blumenau.
    (Foto: )

    Depois de deixar a direção da colônia comandada por ele por mais de 30 anos, em 1884 havia chegado o momento de partir. A esposa Bertha sentia saudades dos familiares na Alemanha e o instigou a voltar à Europa.

    Em 15 de agosto daquele ano, Hermann se despediu do Brasil pela última vez, e passou a morar em Braunschweig, cidade que havia feito parte da vida do colonizador na adolescência. Lá, com mais problemas decorrentes da surdez, viveu os 15 últimos anos da vida até a morte, em 30 de outubro de 1899, no principal cemitério da cidade.

    No local, o túmulo onde foi enterrado Hermann Blumenau está preservado, muito embora os restos mortais tenham sido tirados do local e trazidos para o Mausoléu, na cidade de Blumenau, em 1974.

    O lugar, porém, não deixa de ser especial. A reportagem do Santa acompanhou a visita da historiadora Sueli Petry ao local. Emocionada, ela relatou o sentimento de visitar o exato local onde os familiares acompanharam o sepultamento do fundador.

    – Parece que ele está aqui comigo. Estou sentindo – relatou, emocionada, à reportagem do Santa no local.

    Túmulo de Dr. Blumenau em Braunschweig

    Emocionada, a historiadora Sueli Petry visitou a sepultura de Dr. Blumenau em Braunschweig
    Emocionada, a historiadora Sueli Petry visitou a sepultura de Dr. Blumenau em Braunschweig
    (Foto: )

    Inscrição no túmulo de Dr. Blumenau, no cemitério de Braunschweig.
    Inscrição no túmulo de Dr. Blumenau, no cemitério de Braunschweig.
    (Foto: )

    "Há muito que o Senhor me apareceu, dizendo: Porquanto com amor eterno te amei, por isso com benignidade te atraí", inscrição no túmulo de Dr. Blumenau.
    "Há muito que o Senhor me apareceu, dizendo: Porquanto com amor eterno te amei, por isso com benignidade te atraí", inscrição no túmulo de Dr. Blumenau.
    (Foto: )

    Onde fica a sepultura de Hermann Blumenau

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Cotidiano

    Colunistas