Afastado das competições oficiais, Vanderlei Cordeiro de Lima é embaixador do atletismo e divulga o esporte por onde passa. Ele está em Santa Catarina esta semana, como padrinho da Meia Maratona Caixa de Criciúma, e no domingo vai recepcionar os participantes da prova. O medalhista olímpico, bronze em 2004 na maratona em Atenas, percorre o país difundindo a corrida de rua, prática que tem crescido nos últimos anos.

Continua depois da publicidade

Segundo a organização da maratona, 1,1 mil pessoas estão inscritas para participar de quatro provas. Além da corrida e caminhada adulta no trecho de cinco quilômetros, também terão as provas de 10 e 21 quilômetros. O ponto de partida da meia maratona é o Parque das Nações Cincinato Naspolini, com largada às 7h de domingo.

Essa é a segunda edição da prova, e conta com o dobro de participantes em relação à primeira, que em 2015 teve 650 inscritos. Lá em 2004, ao ser agarrado por um manifestante nos quilômetros finais da prova em Atenas, Vanderlei não conseguiu o ouro, mas acredita que o episódio serviu para chamar a atenção para o esporte.

— Apesar de todo aquele impacto, repercussão, teve uma influência direta para chamar a atenção das pessoas para a prática do esporte. Depois de 2004 a corrida de rua virou mania popular, hoje é moda correr. Acredito que tem uma certa contribuição tudo aquilo que aconteceu , e fez com que nosso esporte tivesse um pouco mais de visibilidade na mídia, isso acaba sendo uma inspiração para as pessoas — comentou.

Aos 48 anos, Vanderlei mantém a corrida como parte da rotina, percorrendo cerca de 40 quilômetros por semana. A prática é um prazer e também para manter a saúde em dia, mas passa longe das cerca de 200 quilômetros que costumava percorrer nos meses de preparação para as maratonas. Segundo ele, não há idade nem empecilhos para começar a corres, prática que só traz benefícios para o corpo e a mente.

Continua depois da publicidade

— A corrida é liberdade, traz prazeres enormes para quem pratica, a transformação é imediata na perda de peso, para se tornar mais disposto, mais bonito, viver melhor e viver muito mais. O esporte proporciona isso, principalmente a corrida, então é um dos atrativos que faz com que esse esporte cresça cada vez mais. Eu como embaixador do atletismo fico muito feliz com tudo isso, os atletas são referência, exemplo, motivação, para quem está começando e tenho certeza, nunca é tarde para começar — disse.

Leia mais:

Criciúma sedia segunda edição de meia maratona

Destaques do NSC Total