nsc
an

Investigação

Pai que matou a filha em Guaramirim é indiciado por homicídio triplamente qualificado

Polícia Civil concluiu depoimentos e entregou o inquérito no fórum

23/06/2021 - 09h29 - Atualizada em: 23/06/2021 - 09h30

Compartilhe

Por Luana Amorim
Hassan
Por Hassan Farias
Evelyn morreu após ser estrangulada pelo pai no dia 12 de junho
Evelyn morreu após ser estrangulada pelo pai no dia 12 de junho
(Foto: )

O homem que matou a filha de 5 anos estrangulada em Guaramirim, no Norte de SC, foi indiciado pelo crime de homicídio triplamente qualificado pela Polícia Civil. O inquérito foi concluído após o fim dos depoimentos e agora segue para análise da Justiça catarinense.

> Acesse para receber notícias de Joinville e região pelo WhatsApp

No momento da prisão em flagrante, o homem havia sido autuado por homicídio triplamente qualificado - motivo torpe, asfixia e recurso que tornou impossível a defesa da vítima. Após os depoimentos, o delegado Augusto Melo Brandão decidiu não alterar a classificação do crime no indiciamento. 

Segundo ele, o inquérito já foi enviado ao Fórum e falta apenas a perícia sobre os celulares, que deve ser entregue diretamente à Justiça quando for finalizada pelo Instituto Geral de Perícias (IGP).

A filha do homem indiciado, Evelyn Vitória Modrok, foi morta em 12 de junho, mesmo dia em que o pai confessou o crime e foi preso. A criança foi estrangulada com uma camiseta. O homem, ainda, tentou se matar com uma faca. Na delegacia, ele alegou que teria matado a filha para “acabar com o sofrimento dela”.

O homem, de 39 anos, estava separado da mãe da criança desde janeiro. Em entrevista ao G1, Francieli Beregula, de 29, disse que terminou o relacionamento após traições e abusos psicológicos.

Ela chegou a registrar boletins de ocorrência contra o ex-companheiro porque ele teria dificultado o acesso dela à criança. Além disso, em outra ocasião, o homem já havia a ameaçado matar a filha deles. 

Leia também:

Pai matou filha de 5 anos em SC por causa de separação, diz polícia

“Ela ficou apavorada e a abandonou”, diz delegado sobre suposta mãe de bebê encontrada em sofá em SC

Crianças encontram crânio humano em lavoura em Canoinhas

Caso Lázaro: aplicativo desenvolvido em Joinville pode ajudar na caçada por serial killer

Colunistas