nsc
    nsc

    Crime

    Pais de bebê morta por desnutrição no Vale da Utopia são denunciados por maus-tratos qualificado

    Promotor público de Palhoça Márcio Conti Júnior assinou a denúncia na tarde desta quarta-feira

    12/08/2015 - 14h51 - Atualizada em: 12/08/2015 - 14h56

    Compartilhe

    Por Redação NSC
    Pai e mãe seguem presos e, agora, aguardam audiência
    Pai e mãe seguem presos e, agora, aguardam audiência
    (Foto: )

    O casal Guilherme Smanioto Vieira Paula, 30 anos, e Fabíola Vieira Skowon, 26 anos, foi denunciado por maus-tratos qualificado na tarde desta quarta-feira. A decisão foi assinada pelo promotor público de Palhoça, Márcio Conti Júnior, que analisou o laudo e chegou à conclusão de que a bebê Analua, de três meses, morreu desnutrida no casebre onde a família vivia, no Vale da Utopia - entre as praias da Guarda do Embaú e da Pinheira. Em depoimento, a mãe informou que a alimentava com o extrato obtido a partir de uma mistura de óleo de coco e vegetais.

    Casal é preso após morte da filha de três meses por desnutrição

    Polícia vai investigar comunidade alternativa em Palhoça onde bebê desnutrida morreu

    Um laudo complementar está sendo finalizado pelo Instituto Geral de Perícias (IGP) e pelo Instituto Médico Legal (IML) e dará mais precisão à causa da morte nos próximos dias, mas o promotor não tem dúvidas:

    - Bastava olhar as fotos. Era nítido. A bebê tinha pouco mais de três meses, pesava somente 1,7 quilos e media 46 centímetros - informa.

    Pais de menina morta no Vale da Utopia viviam em casa de estrutura precária e sem higiene

    A denúncia da Promotoria de Justiça de Palhoça segue agora para o Judiciário, que citará os envolvidos. Eles serão chamados para apresentar a defesa em uma audiência pública. O promotor Márcio Conti Júnior acredita que essa etapa acontecerá dentro de dois meses.

    - Pelo fato de eles estarem presos, a audiência será em breve - arrisca.

    Dois moradores do Vale da Utopia, uma servidora do Samu e um agente de polícia da Delegacia de Palhoça - que atenderam a ocorrência - foram arrolados como testemunhas. A defesa do casal poderá apontar outras pessoas.

    Segundo o promotor Márcio Conti Júnior, na semana passada a Defensoria Pública tentou um habeas corpus para o casal, que foi negado.

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Cotidiano

    Colunistas