nsc

publicidade

Tecnologia

Palavra Aberta e Google lançam projeto de educação midiática 

O programa quer dar apoio para crianças e jovens consumirem e produzirem informação de maneira responsável

06/06/2019 - 13h48

Compartilhe

Por Folhapress
Palavra Aberta e Google lançam projeto de educação midiática.
(Foto: )

O Instituto Palavra Aberta e o Google lançaram nesta quinta-feira (6) o Programa de Educação Midiática (EducaMídia), que visa dar apoio para crianças e jovens consumirem e produzirem informação de maneira responsável, além de difundir no país o conceito de "media literacy", alfabetização ou educação de mídia.

Através do Google.org, seu braço filantrópico, a empresa de tecnologia anunciou um investimento de R$ 4 milhões no projeto brasileiro, ao longo dos próximos dois anos. O anúncio foi feito pelo vice-presidente para assuntos globais do Google, Kent Walker, durante o evento Google For Brasil, que acontece ao longo do dia em São Paulo.

"Vamos treinar mais de 5 mil professores e atingir 175 mil estudantes em 10 estados", afirmou Walker.

Segundo Patricia Blanco, presidente-executiva do Palavra Aberta, o primeiro objetivo do EducaMídia é fazer com que o tema seja conhecido e que "haja uma relação entre educação midiática e o Campo Jornalístico Midiático", incluído na Base Nacional Comum Curricular (BNCC), do Ministério de Educação, a partir de janeiro deste ano.

"Esse campo traz coisas como interpretar o texto jornalístico e diferenciar os gêneros textuais, que são justamente a base da educação midiática que a gente tem trabalhado há três, quatro anos", diz Blanco, que apresentou junto com o Google uma plataforma com um currículo básico a ser usado por professores e alunos do sexto ao nono ano, como previsto na BNCC.

Juliana Nolasco, gerente de relações governamentais do Google Brasil, diz que o EducaMídia "foi pensado exclusivamente para o país, inteiramente construído junto com o Palavra Aberta". É parte de um esforço global de "media literacy" da empresa envolvendo outros parceiros, como a Universidade Stanford.

"Esse é um dos focos do Google, no sentido de combater a desinformação no mundo inteiro", diz ela.

"Outros pilares são o fortalecimento do jornalismo de qualidade e a melhoria de nossos produtos, para trazer mais contexto aos usuários. A gente acredita que o problema da desinformação é fragmentado, então as soluções também são diversas. Não existe bala de prata."

Paralelamente, a empresa lançou em 2018 um programa de investimento em jornalismo através do Google News Initiative, que direcionou desde então US$ 120 milhões (aproximadamente R$ 465 mi) para diversas iniciativas, em 70 países. No Brasil, foram R$ 36 milhões desde março do ano passado.

A plataforma do Programa de Educação Midiática está no endereço educamidia.org.br.

Deixe seu comentário:

publicidade