nsc
    dc

    3 a 0

    Peru goleia o Chile na Arena do Grêmio e enfrentará o Brasil na final da Copa América

    Gols foram marcados por Flores, Yotún e Paolo Guerrero

    03/07/2019 - 22h31 - Atualizada em: 03/07/2019 - 22h36

    Compartilhe

    Por GaúchaZH
    Equipe peruana garantiu lugar na decisão
    (Foto: )

    * Por Rafael Diverio

    Surpresa na Copa América. O adversário do Brasil na final do campeonato será o Peru. Na fria noite de quarta-feira em Porto Alegre, a equipe, que só se classificou para a segunda fase por ter sido uma das melhores terceiras colocadas, goleou o Chile por 3 a 0 e irá ao Maracanã no domingo em busca de seu terceiro título.

    Os chilenos, no sábado, disputam o terceiro lugar contra a Argentina, na Arena do Corinthians.No dia do sorteio do torneio continental, era consenso geral de que o Grupo A seria o mais fraco da competição. Pois dois representantes dessa chave farão a decisão.

    E os peruanos fizeram por merecer a viagem ao Rio de Janeiro. Já aos dois minutos, Cueva tivesse um pouco mais de calma, precisão, perícia ou até qualidade mesmo. O lance começou no meio, quando Tapia deu um carrinho e ganhou a dividida. A bola chegou até Guerrero, nas costas da defesa. O centroavante foi marcado por Medel e, com um drible, passou pelo adversário. Percebeu Cueva entrando pelo meio e lhe entregou.

    Mas aí o meia do Santos fez tudo errado, pegou mal e jogou para fora.Também poderia ter sido pelo lado do Chile. Aos sete, foi Aránguiz quem iniciou a jogada. Ele antecipou um passe peruano no meio e arrancou pelo meio. Entregou na esquerda para Sánchez, que fechava para a área. Inteligente, o atacante esperou a passagem de Beausejour, que rolou para trás, onde entrava Aránguiz. Na área pequena, porém, sua conclusão foi ruim, ao lado da trave.

    O centro da seleção peruana era Guerrero. Aos 19, ele fez uma jogada de pivô e passou para Flores, que avançou pelo lado esquerdo, invadiu a área e chutou cruzado. A bola desviou na defesa e saiu para escanteio. Um minuto mais tarde, porém, Flores se redimiu. Após cruzamento da direita, Carrillo cabeceou mal, mas exatamente onde apareceu o camisa 20, que bateu de primeira e venceu Arias: 1 a 0.Para piorar ainda mais a situação chilena, ter ficado em desvantagem ainda veio acompanhado de uma lesão em Vidal.

    No lance do gol, ele sentiu dores na perna e ficou visivelmente descontado, sem força de arranque, burocrático. Permaneceu em campo porque era semifinal e porque é um dos líderes do time. Só que sua queda sobrecarregou Aránguiz e Pulgar. Com isso, o Peru tinha superioridade na faixa central.

    E se não bastasse todos esses problemas, o goleiro Arias resolveu dar uma força aos peruanos. Um lançamento, aos 38 minutos, parecia despretensioso para Carrillo, pela ponta direita. O camisa 1 chileno, porém, resolveu sair do gol. Lento, foi vencido na velocidade pelo atacante peruano, que chegou à linha de fundo e cruzou alto e forte, para trás. Da meia lua, Yotún amorteceu a bola no peito e bateu de pé esquerdo para o gol vazio.

    O azarão Peru abria 2 a 0 sobre o Chile. Os chilenos ainda tentaram descontar antes do intervalo. Tiveram duas chances. Na primeira, Aránguiz apareceu na área, ajeitou com a direita e girou com a esquerda, mas o chute saiu por cima.

    Na segunda, após cobrança de escanteio, a bola ficou quicando no meio da área e Fuenzalida chegou batendo. Gallese fez grande defesa. Foi, aliás, a última participação de Fuenzalida, que saiu no intervalo para a entrada de Sagal. A ordem era fortalecer ataque. E antes que o segundo tempo esquentasse, Flores saiu machucado no Peru, dando lugar a González.

    Aos cinco, o empate do Chile não chegou por um capricho da trave. Após falta cobrada da direita, Vargas antecipou a defesa e desviou. A bola encobriu Gallese e bateu no poste. No rebote, ninguém conseguiu aproveitar.Aos 13, o Peru deixou de matar o jogo no contra-ataque. Eram quatro peruanos partindo em velocidade. Guerrero recebeu pelo lado direito e serviu Cueva, que entrava pela esquerda. De primeira, em vez de chutar, ele ajeitou para o meio, onde Yotún penetrava, mas sua conclusão foi ruim, por cima do travessão.

    Resposta chilena com Aránguiz. Aos 19, ele recebeu com espaço, na intermediária, e arriscou. A bola fez uma curva e quase entrou no ângulo. Gallese só assistiu. Pouco depois, novamente Aránguiz apareceu. Ele descolou um lançamento da direita para a esquerda na direção de Beausejour, que talvez tenha tentado cruzar e pegou mal (ou talvez quis fazer isso mesmo), mas seu chute quase encobriu o goleiro peruano, que fez grande defesa.

    Não parecia, mesmo, ser a noite chilena. Trauco errou um passe no meio do campo e Vargas disparou em direção ao gol. Até houve uma tentativa de segurá-lo, mas ele teve vantagem e, frente a frente com Gallese, chutou em cima do goleiro.

    Na força, o Chile se atirava ao ataque. Teve uma chance em um chute de fora da área, de Sagal, ao lado da trave. Depois, Vidal tentou de cabeça, Gallese defendeu firme. O goleiro voltou a brilhar quando Sánchez bateu forte, rasteiro e ele saltou para espalmar.

    Depois de minutos finais de olé peruano e correria chilena, Guerrero decretou a goleada. Ele recebeu no meio da área e teve calma e habilidade para driblar Arias e fazer 3 a 0.

    Ainda deu tempo para o Chile pagar o último mico da noite. Nos acréscimos, Aránguiz sofreu pênalti marcado por VAR. Vargas quis dar uma cavadinha e Gallese pegou. Sobrou coração aos peruanos. Eles vão à final.

    Leia também: Brasil e Argentina fizeram o jogo da Copa América até aqui

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Esportes

    Colunistas