nsc

publicidade

Pesca

Pescadores terão novamente curso para tirar carteira profissional

O documento é uma exigência da Marinha para todos os pescadores que trabalham embarcados.

24/01/2017 - 13h33

Compartilhe

Por Redação NSC
(Foto: )

Os pescadores de Florianópolis devem voltar a ser beneficiados com o curso gratuito para obtenção da carteira profissional de pescador (POP Nível I). O documento é uma exigência da Marinha para todos os pescadores que trabalham embarcados.

O presidente da Federação dos Pescadores Artesanais de Santa Catarina, Ivo Silva, explica que esta é um reivindicação constante da categoria, e há dois anos tentam parceria com o Instituto de Geração de Oportunidades de Florianópolis (Igeof) para a realização de mais cursos:

— Espero que o curso realmente saia, pois muitos pescadores estão aguardando para fazer. Só na colônia em Florianópolis temos uma relação de mais de 600 interessados. Antigamente só era exigida a carteira do Ministério da Pesca, mas agora todo pescador embarcado precisa ter — informou.

Em uma reunião do gabinete do vice-prefeito da Capital, João Batista Nunes, na tarde de segunda-feira, a Capitania dos Portos, o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) e associações de pescadores e maricultores da Ponta do Leal e do Ribeirão da Ilha articularam a obtenção de recursos para a abertura de novas turmas _ que estavam paralisadas por falta de verba do Governo Federal. Com a viabilização do convênio entre as entidades, pelo menos 120 pessoas devem ser beneficiadas inicialmente.

— Faremos um novo encontro, desta vez envolvendo o Igeof e a Federação Catarinense da Agricultura e Pecuária, para determinarmos os critérios para a seleção dos profissionais que participarão dos cursos oferecidos pela Capitania dos Portos — afirmou o vice-prefeito.

Segundo o presidente da Federação, no curso os pescadores aprendem primeiros socorros, navegação, normas técnicas entre outras coisas. Ivo diz que os critérios para participação precisam ser estabelecidos em parceria:

— Em outros cursos abriram as inscrições pela internet e aqueles pescadores mais simples, que precisavam para continuar trabalhando mas não tinha acesso, acabaram ficando de fora — explicou.

Falta de carteira gera multa

Segundo Joares Pereira de Mello, chefe do Departamento de Segurança de Tráfego Aquaviário da Capitania dos Portos, com a carteira em mãos o pescador deixa de ser alvo das inspeções da Marinha, que incorrem em apreensão da embarcação e multas de até R$ 2,4 mil.

Deixe seu comentário:

publicidade