nsc

publicidade

Operação Oceano Branco

PF encontra lacres de contêineres com funcionários de empresa que opera o Porto de Itajaí

Lacre é um dispositivo de segurança dos contêineres, que garante que a carga não será adulterada na exportação

10/10/2017 - 05h13 - Atualizada em: 21/06/2019 - 22h33

Compartilhe

Por Redação NSC
Lacre é um dispositivo de segurança dos contêineres, que garante que a carga não será adulterada
Lacre é um dispositivo de segurança dos contêineres, que garante que a carga não será adulterada
(Foto: )

O Porto de Itajaí e a Portonave, em Navegantes, estão entre os alvos de mandados de busca e apreensão da Operação Oceano Branco, que investiga o envio de cocaína para a Europa através dos portos catarinenses. A Polícia Federal divulgou um vídeo do momento em que é localizado um lacre de contêiner dentro do armário de um funcionário da APM Terminals, arrendatária do terminal.

O lacre é um dispositivo de segurança dos contêineres, que garante que a carga não será adulterada. Cada contêiner que chega no porto já vem com lacres do exportador e do armador - a empresa que é dona do navio. O lacre do terminal só é usado internamente, entre gate (portão) e inspeção. Para fins de exportação, o dispositivo do armador é fundamental.

Em ação contra o tráfico internacional, PF encontra lacre usado para garantir que carga de contêineres não será adulterada

A APM Terminals informou que está colaborando com a polícia e a Receita Federal e prestando informações desde as 7h da manhã de hoje. Além dos lacres, os policiais estão verificando sistemas de movimentação de cargas do terminal.

Leia mais:

PF cumpre mandados contra quadrilhas que exportavam cocaína pelos portos de SC

Deixe seu comentário:

publicidade