nsc

    BRINCADEIRA IRRESPONSÁVEL

    “Pipa com cerol é como farra do boi: tem de acabar”, compara inspetor da PRF 

    Morte de motociclista de 34 anos na Via Expressa reforça alerta sobre uma tradição perigosa 

    22/07/2019 - 10h00 - Atualizada em: 22/07/2019 - 11h16

    Compartilhe

    Por Redação CBN Diário
    Motocicleta de mulher atingida por linha com cerol parada no acostamento da Via Expressa
    Moradora de Biguaçu seguia de Florianópolis para São José quando teve o pescoço cortado por uma linha com cerol
    (Foto: )

    A Polícia Rodoviária Federal sugere que motociclistas se previnam com a instalação de uma antena para evitar acidentes com linhas de pipa com cerol. Ao mesmo tempo, apela para que pais orientem os filhos sobre os riscos dessa prática, que aumenta durante as férias escolares. No último sábado (20), Josiane Marques, 34 anos, morreu ao ser atingida no pescoço na altura do km 4 da Via Expressa.

    — É preciso acabar com essa brincadeira irresponsável de cortar a pipa do outro com cerol acabe. É uma tradição como a farra do boi: tem de acabar. Uma pipa cortada por viajar ao sabor do vento e parar em qualquer lugar – afirmou o inspetor da Polícia Rodoviária Federal (PRF) em Santa Catarina, Adriano Fiamoncini, em entrevista ao Notícia na Manhã desta segunda-feira (22).

    Aos motociclistas, a dica é cuidado redobrado ao passar em locais em que brincadeiras com pipas são comuns:

    — O motociclista que sabe que vai passar por áreas urbanizadas, principalmente nesse período de férias escolares, deve instalar a antena corta fio. É um equipamento barato e fácil de instalar — recomenda Fiamoncini.

    Leia também:

    Polícia procura dono de linha com cerol que matou mulher na BR-282, em São José

    "O que a gente espera é que isso não volte a ocorrer", diz irmão de mulher morta por linha com cerol

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Cotidiano

    Colunistas