nsc

publicidade

Segurança

PM evitou confronto para prevenir troca de tiros durante assalto a banco em Blumenau

Objetivo foi "preservar vidas inocentes", conforme tenente do 10º Batalhão da Polícia Militar

09/09/2019 - 17h02 - Atualizada em: 09/09/2019 - 17h43

Compartilhe

Augusto
Por Augusto Ittner

A Polícia Militar de Blumenau acompanhou toda a ação dos criminosos na última sexta-feira, durante o assalto a uma agência bancária no bairro Itoupava Central, mas evitou a abordagem no local da ocorrência. A afirmação é do tenente Nicolas Vasconcelos, chefe de Comunicação Social do 10º BPM. O objetivo foi evitar uma troca de tiros em área urbana, o que poderia resultar em inocentes mortos, conforme a PM. Vasconcelos explica que essa é uma questão de estratégia para situações como a que ocorreu na sexta-feira.

– Temos uma câmera de monitoramento do lado da agência bancária. E essa câmera flagrou todo o movimento desde a primeira ligação para o 190. Temos protocolos de atendimento. A viatura até teria condição de ter chegado antes. Ela não demorou, e sim foi no momento certo. É isso que tem que ser frisado. Se a gente chega antes, com uma ação não planejada, com uma reação instintiva, de ir direto ao confronto, não tenho dúvida que teriam criminosos mortos, policiais mortos e vítimas inocentes mortas – aponta Vasconcelos.

A Polícia Militar também confirmou que por duas vezes na sexta-feira cruzou com o veículo utilizado pelos criminosos na fuga, um HB20 prata com placa clonada, o que pode ajudar a entender o caminho utilizado pelos bandidos:

– Por duas vezes nós cruzamos com o veículo em fuga. O cerco foi muito bem montado. Mas a gente sabe das dificuldades, muito pela rota que eles utilizaram, que é uma rota rural, formada por sítios que muitas vezes não têm câmeras voltadas para a rua. Já temos uma linha de investigação, que a gente obviamente não pode falar até para não prejudicar os trabalhos, mas eles estudaram, planejaram, e mesmo assim o nosso cerco ainda conseguiu fazer duas vezes o contato com a viatura.

O delegado regional de Polícia Civil, Egídio Ferrari, reafirma que as investigações prosseguem durante a semana e que há mobilização em equipes também da Divisão de Investigação Criminal (DIC) de Blumenau e da Divisão de Roubos e Antissequestro para buscar mais informações sobre o assalto.

– Estão todos mobilizados, mais uma vez, assim como a gente trabalha com muito empenho no caso do Aeroporto Quero-Quero, sem falar absolutamente nada. E assim, também, vamos trabalhar nessa questão do assalto ao banco – resume Ferrari.

Relembre o caso

O assalto à agência bancária ocorreu às 11h07min de sexta-feira (6). Os bandidos fortemente armados – provavelmente com M4A1, arma de calibre 5,56mm – invadiram o local e fizeram clientes e funcionários reféns. A ação durou cerca de quatro minutos, conforme a PM.

Na saída, os bandidos usaram as vítimas para fazer um cordão humano e fugir em uma caminhonete Nissan Frontier, que foi abandonada e incendiada no bairro Belchior Alto, em Gaspar. Depois eles utilizaram um outro veículo, um HB20 prata, para a fuga.

Ainda não é assinante? Assine e tenha acesso ilimitado ao NSC Total, leia as edições digitais dos jornais e aproveite os descontos do Clube NSC.

Deixe seu comentário:

publicidade