nsc
an

Saúde

Polícia apreende remédios de emagrecimento suspeitos de ter fórmula proibida em Joinville

Comprimidos vendidos como naturais tinham traços de sibutramina, um remédio de venda controlada

24/09/2019 - 17h52 - Atualizada em: 24/09/2019 - 23h12

Compartilhe

Redação
Por Redação AN
Foram cumpridos dois mandados de busca e apreensão nos bairros Jarivatuba e Guanabara
Foram cumpridos dois mandados de busca e apreensão nos bairros Jarivatuba e Guanabara
(Foto: )

A Polícia Civil de Joinville, no Norte de Santa Catarina, realizou nesta terça-feira (24) uma operação para combater a venda de produtos de emagrecimento na cidade. De acordo com a corporação, foram cumpridos dois mandados de busca e apreensão, e três pessoas foram encaminhadas à delegacia para serem interrogadas. Ninguém foi preso.

A operação batizada de "Dieta de Risco" apura a venda de produtos supostamente naturais, mas que contêm substâncias proibidas ou controladas, como a sibutramina. A ação aconteceu nos bairros Jarivatuba e Guanabara.

Um dos produtos, chamado de Bioslim, era vendido para todo o Brasil. No site da empresa que o produzia, havia inclusive uma promoção para quem comprasse mais de um frasco, cada um com 30 comprimidos, bem como a distribuição de amostras grátis.

Segundo a Polícia Civil, exames realizados pelo Instituto Geral de Perícias (IGP) detectaram a presença da sibutramina na fórmula. Esse medicamento sintético para o controle do peso tem a venda controlada no Brasil, podendo ser comercializado apenas com receita médica.

No entanto, a empresa que o produzia afirmava que os comprimidos eram feitos a partir de produtos naturais.

Denúncia

A Polícia Civil foi até o distribuidor do Bioslim em Joinville depois de receber a denúncia de uma pessoa de São Bento do Sul, também no Norte Catarinense, que disse ter passado mal, depois de consumir o emagrecedor.

Segundo as investigações, os comprimidos eram feitos em Goiás e repassados à empresa de Joinville para serem fracionados e revendidos.

As pessoas levadas à delegacia devem responder em liberdade por crime contra a saúde pública e tráfico de drogas.

Ainda não é assinante? Assine e tenha acesso ilimitado ao NSC Total, leia as edições digitais dos jornais e aproveite os descontos do Clube NSC.

Colunistas