nsc

publicidade

Ingleses

Polícia Civil encerra inquérito sobre jovem morto a tiros por PMs em Florianópolis

Vítor Rodrigues Xavier da Silva estava com uma arma de brinquedo, quando foi atingido pelos tiros dos militares

20/05/2019 - 21h16 - Atualizada em: 20/05/2019 - 23h00

Compartilhe

Redação
Por Redação DC
Vítor tinha 19 anos e, segundo a família, estava atirando com uma arma de brinquedo, na frente de casa
Vítor tinha 19 anos e, segundo a família, estava atirando com uma arma de brinquedo, na frente de casa
(Foto: )

A Polícia Civil encerrou, nesta segunda-feira (20), o inquérito que apura a morte de um jovem de 19 anos no bairro Ingleses, no Norte da Ilha, em Florianópolis. O caso aconteceu no dia 17 de abril. Vitor Rodrigues Xavier da Silva foi baleado por policiais militares, que faziam rondas pelo bairro.

Familiares afirmam que o rapaz estava atirando com uma arma de brinquedo, no pátio de casa, quando os policiais o viram e atiraram. Em uma primeira versão, a Polícia Militar chegou a afirmar que o jovem teria apontado a pistola falsa para os agentes, que revidaram atirando, pensando que fosse uma arma de verdade.

A delegada responsável pelo caso não deu detalhes sobre o inquérito. A apuração foi enviada ao Judiciário, que repassará o documento ao Ministério Público. Caberá à promotoria decidir, com base na apuração feita pela polícia, se apresenta ou não uma denúncia contra os policiais envolvidos na morte.

A Polícia Militar também investiga a situação. Um inquérito foi aberto para apurar as circunstâncias da morte de Vítor. Segundo o promotor Wilson Paulo de Mendonça Neto, a corporação tem 40 dias para encerrar as investigações, mas o prazo ainda não terminou.

— Estou aguardando o encerramento para saber quais medidas podem ser tomadas — disse.

Em nota, a PM informou que os policiais envolvidos na ocorrência seguem trabalhando normalmente. Um deles chegou a ser afastado temporariamente, devido ao estresse da ocorrência, mas já retomou as atividades. Todos já foram ouvidos na apuração interna.

Veja a íntegra da nota da Polícia Militar sobre o caso

Os policiais envolvidos nessa ocorrência já foram ouvidos, restando apenas finalizar o relatório do inquérito, segundo o oficial responsável. Segundo o Código de Processo Penal Militar, o Inquérito Penal Militar tem prazo de 40 dias a partir da instauração do mesmo, portanto ainda dentro do tempo legal. Os policiais também seguem seus trabalhos na unidade. Um dos policiais retornou semana passada, pois estava em afastamento médico diagnosticado devido ao estresse da ocorrência. Após a conclusão do IPM e envio ao Poder Judiciário a imprensa poderá ter acesso aos nomes dos envolvidos, caso assim entendo o magistrado.

Assine o NSC Total para ter acesso ilimitado ao portal, ler as edições digitais do DC, AN e Santa e aproveitar os descontos do Clube NSC. Acesse assinensc.com.br e faça sua assinatura.

Deixe seu comentário:

publicidade