nsc
    dc

    Polícia

    Polícia Federal indicia 90 pessoas pela Operação Enredados 

    Ação deflagrada em outubro desarticulou grupo suspeito de vender permissões ilegais para pesca industrial. Secretário-executivo do extinto Ministério da Pesca foi um dos presos à época

    22/12/2015 - 15h55

    Compartilhe

    Por Redação NSC
    Investigações recolheram cerca de 250 toneladas de pescado ilegal, cujo valor comercial supera R$ 3 milhões
    Investigações recolheram cerca de 250 toneladas de pescado ilegal, cujo valor comercial supera R$ 3 milhões
    (Foto: )

    A Polícia Federal (PF) conclui os indiciamentos dos investigados na Operação Enredados, deflagrada em 15 de outubro, para desarticular organização criminosa que atuava no extinto Ministério da Pesca e Aquicultura (MPA), com núcleos em Brasília e Santa Catarina, e na superintendência catarinense do Ibama. Ao todo, foram responsabilizadas 90 pessoas, que totalizaram cerca de 450 indiciamentos, sendo 55 por corrupção ativa, 77 por corrupção (nas modalidades passiva e privilegiada), 98 por crime ambiental, entre outros crimes. Do total de indiciados, 27 eram servidores públicos.

    Superintendente do Ibama em SC é detido em operação da Polícia Federal

    No dia 27 de novembro, a PF já havia encaminhado o relatório final do inquérito policial, abrangendo mais de 30 casos criminosos, muitos divididos em diversas ações, distribuídas em conformidade com o núcleo de atuação da quadrilha. Em nota, a PF afirmou que "cada subfato conteve a individualização da conduta dos investigados em conformidade com as provas reunidas durante um ano de operação e a participação nos eventos analisados".

    Ibama exonera superintendente detido pela Polícia Federal em Santa Catarina

    A operação revelou inúmeros crimes ambientais e administrativos, que provocaram dano ambiental estimado pelo Ibama em mais de R$ 5 bilhões. Durante as investigações, foram realizadas diversas apreensões de pescados obtidos por meio de pesca ilegal — no total, foram recolhidas aproximadamente 250 toneladas de peixe, cujo valor comercial supera R$ 3 milhões.

    Até 18 de dezembro, quando o relatório foi finalizado, 14 pessoas continuavam presas, do total de 19 detidas em 15 de outubro. Decisão da Justiça Federal em Rio Grande proferida no mesmo dia revogou 12 mandados de prisão, mas 11 das revogações foram revertidas por liminar concedida pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região, que atendeu recurso do Ministério Público Federal. Assim, atualmente, permanecem presas preventivamente 13 pessoas.

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Cotidiano

    Colunistas