nsc

publicidade

Investigação

Polícia indicia engenheiro no caso de deslizamento na Via Expressa, em Blumenau

Acidente ocorrido no dia 27 de março deste ano deixou duas pessoas mortas no local e uma terceira morreu pouco mais de um mês depois, após deixar o hospital

04/09/2019 - 12h02 - Atualizada em: 04/09/2019 - 19h05

Compartilhe

Adriano
Por Adriano Lins
O acidente foi no dia 27 de março deste ano e a operação de resgate durou pouco mais de 9 horas.
O acidente foi no dia 27 de março deste ano e a operação de resgate durou pouco mais de 9 horas.
(Foto: )

A Polícia Civil concluiu nesta semana o inquérito policial do deslizamento de terra em uma obra às margens da Via Expressa, em Blumenau, que vitimou três trabalhadores. O engenheiro André Roberto Bilk, responsável pela obra, foi indiciado por homicídio culposo – aquele em que não há a intenção de matar. O acidente ocorreu no dia 27 de março deste ano e a operação de resgate durou pouco mais de nove horas.

Conforme o delegado da 2ª Delegacia de Polícia Civil de Blumenau, Juraci Darolt, com base em depoimentos de alguns funcionários, do operador de máquina que fez o corte e do especialista em questões ambientais e desastres, concluiu-se a existência de responsabilidade criminal pelo deslizamento de terra na obra.

De acordo com o depoimento do operador de máquinas, o engenheiro teria sido avisado sobre o risco de mexer no barranco. Nos depoimentos, o especialista ouvido pela polícia aponta que não é aconselhável fazer este tipo de trabalho sem que tenha sido feito um estudo aprofundado.

– Qualquer profissional que fosse alertado sobre o risco, deveria ter levado em consideração e tomado providências para oferecer total segurança aos trabalhadores – diz Darolt.

O delegado explica que a culpa por negligência no direito penal ocorre quando o agente não adota a ação cuidadosa que se exige no caso concreto. Neste caso, segundo Darolt, o fato resultou na morte de três pessoas.

A responsabilidade recai sobre o responsável pela obra com conhecimento técnico, esclarece o delegado Juraci Darolt. Segundo ele, isso não descarta a possibilidade de que o Ministério Público entenda que haja outros responsáveis pelo evento.

O inquérito está no Poder Judiciário e o MP irá se manifestar. Se concordar com o indiciamento do engenheiro, ele será denunciado e processado.

Contraponto

A reportagem procurou o engenheiro responsável pela obra, André Roberto Bilk. Ele informou que só irá se pronunciar quando tomar conhecimento oficial da conclusão do inquérito.

Relembre o caso

O deslizamento aconteceu por volta das 11h40min do dia 27 de março, uma quarta-feira, em um terreno às margens da Via Expressa, em Blumenau. Trabalhadores faziam um sapata no momento em que a terra cedeu. Três foram soterrados.

Dois deles, Élcio José Padilha, 30 anos, e Romero Geraldo da Silva, 28, morreram. Um terceiro, Ademir José Ferreira, 42, foi encontrado com vida pouco antes das 16h, mas faleceu em decorrência de uma parada cardíaca pouco mais de um mês depois. O trabalho de resgate por parte do Corpo de Bombeiros e Samu durou pouco mais de nove horas.

Ainda não é assinante? Assine e tenha acesso ilimitado ao NSC Total, leia as edições digitais dos jornais e aproveite os descontos do Clube NSC.

Deixe seu comentário:

publicidade