nsc

publicidade

Investigação

Polícia investiga caso de criança deixada sozinha em casa após família viajar, em Jaraguá do Sul

Caso foi descoberto após vizinhos sentirem cheiro de queimado quando o menino tentava cozinhar

10/07/2019 - 11h42 - Atualizada em: 10/07/2019 - 21h47

Compartilhe

Redação
Por Redação AN

A Polícia Civil investiga o caso de um menino, de 10 anos, deixado sozinho em casa após familiares viajarem para outro estado. A situação aconteceu em Jaraguá do Sul, na noite de segunda-feira (8), e foi descoberta depois que a criança deixou queimar alimentos enquanto tentava cozinhar. Os vizinhos sentiram o cheiro de queimado e, ao verificarem a situação, perceberam que o garoto estava sozinho.

Uma testemunha relatou à Polícia Militar (PM) que a mãe adotiva do menino (que é ex-namorada do pai dele e que cuida do menor) e os demais moradores da casa foram viajar e, como não tinha mais lugar no veículo, a criança ela foi deixada em casa. A PM chegou ao imóvel, por volta das 20h30, e constatou que o menino estava sozinho. O Conselho Tutelar também foi acionado.

De acordo com a delegada Cláudia Gonzaga, da Proteção à Criança, ao Adolescente, à Mulher e ao Idoso (Dpcami), de Jaraguá do Sul, o caso ainda esta em apuração, mas a situação pode configurar o crime de abandono de incapaz. Ninguém foi preso em flagrante durante a ocorrência. A mãe adotiva do menino ainda não foi ouvida pela polícia, ela estaria a principio no Paraná. A previsão é que a mulher seja ouvida nesta quarta-feira a tarde.

— Existe uma hipótese de que uma vizinha tenha ficado como responsável para olhar a criança, mas isto está sendo confirmado. Ele ficaria sozinho, mas ela ficaria de olho nele — afirma à delegada.

Depois do ocorrido, o menino ficou sob os cuidados da avó paterna, até que a mãe retorne para a cidade e a situação seja apurada. A delegacia também investiga denúncias relacionadas a maus-tratos que já tinham sido feitas contra alguns dos suspeitos.

*O nome dos envolvidos e o bairro onde aconteceu o caso não foram divulgados, conforme prevê o Estatuto da Criança e do Adolescente.

Deixe seu comentário:

publicidade