nsc

publicidade

Série B

Pontos positivos e negativos que podem influenciar no acesso do Avaí

Leão busca manter vantagem segura dentro do G-4 da Série B

09/10/2018 - 04h33

Compartilhe

Por Redação NSC
Rodrigão é uma das armas do Leão para permanecer entre os mais bem colocados
Rodrigão é uma das armas do Leão para permanecer entre os mais bem colocados
(Foto: )

Avaí e Guarani estão colados na tabela de classificação. Com ligeira vantagem, o Leão é o quarto colocado, mas é seguido de perto pelo Bugre, que tenta pela primeira vez entrar no G-4 da Série B do Brasileiro. O tira-teima será no sábado, às 16h30min, quando as equipes se enfrentam no Brinco de Ouro, em Campinas (SP), pela 31ª rodada.

Para manter o confortável lugar na zona de acesso à elite de 2019, os azurras se apoiam em três pontos positivos, mas precisam de cuidado com a mesma quantia de pontos negativos diante do duríssimo adversário no caminho de retorno à Primeira Divisão.

Pontos positivos

Campanha como visitante

Considerando apenas os pontos conquistados fora de casa, os números do Avaí só são inferiores em relação a dois concorrentes: Figueirense e Goiás. O Leão somou 22 dos 48 pontos longe da Ressacada. A campanha azurra como visitante é de seis vitórias, quatro empates e cinco derrotas, o que garante 48,9% de aproveitamento nesses confrontos. Um novo triunfo pode colocar o time na liderança do quesito.

Consolidação no G-4

Após vencer o Boa Esporte por 2 a 0 na sexta-feira, o Leão completou incríveis 19 rodadas na zona de acesso da Série B. Só Fortaleza, líder da competição, e CSA, terceiro colocado, estão há mais tempo. O Leão do Pici está desde o início, ou seja, há 30 rodadas. Os alagoanos aparecem em 27 rodadas entre os melhores da disputa. Essa consolidação mostra total força do grupo do técnico Geninho.

Força ofensiva

O Avaí tem o quarto melhor ataque da Série B, com 40 gols. Está atrás somente de Fortaleza (44) e de Goiás e Atlético-GO (43). Apenas em sete das 30 partidas o Leão não deixou pelo menos uma boa na rede do adversário. O meia Renato, com oito gols, é o artilheiro do time na competição. Junto de Rodrigão e Romulo, que têm seis tentos cada, o trio assinalou metade dos gols azurras.

Pontos negativos

Jejum fora da Ressacada

Apesar da boa campanha fora de casa, o Leão perdeu os três últimos confrontos em que atuou longe da torcida: 2 a 1 para o Paysandu, 3 a 2 para o Criciúma e 1 a 0 para o Coritiba. Esses duelos contabilizam mais da metade das derrotas do Avaí como visitante na competição. O jejum dura desde o 1 a 0, com gol de Romulo, em cima do São Bento, conquistado em 25 de agosto, pela 23ª rodada da Série B.

Adversário letal

O Guarani foi um dos dois adversários a marcar três dos 26 gols sofridos pelo Avaí – o outro foi o Criciúma no revés por 3 a 2, no sul do Estado. Isso ocorreu no empate por 3 a 3 no dia 19 de junho, na Ressacada. Na ocasião, o Leão chegou a estar vencendo os paulistas por 2 a 0, mas levou a virada em 21 minutos do segundo tempo antes de conseguir a igualdade derradeira com o paraguaio Beltrán.

Retrospecto no Brinco de Ouro

Dos cinco jogos que fez contra o Guarani na casa bugrina, o Leão perdeu três, empatou outro e venceu um. O único triunfo, por 2 a 0, foi em 14 de agosto de 2012, pela Série B, que marca justamente o último encontro entre as equipes no Brinco de Ouro. Além disso, na última vez que o técnico Geninho esteve no local foi no comando do ABC. O time da casa fez 6 a 0 e foi à final da Série C de 2016.

Confira a tabela da Série B do Brasileiro

Leia mais notícias sobre o Avaí

Deixe seu comentário:

publicidade