nsc

Vida

Pós-Covid: fisioterapia de graça para recuperados do coronavírus é oferecida em Palhoça

Exercícios de respiração são indicados na recuperação dos pacientes

13/05/2021 - 05h41

Compartilhe

Jorge
Por Jorge Jr.
Reabilitação é feita gratuitamente em Palhoça
Reabilitação é feita gratuitamente em Palhoça
(Foto: )

A fisioterapia pós-Covid é recomendada aos recuperados do coronavírus que possuem alguma dificuldade, o cansaço é um exemplo. Em Palhoça, município da Grande Florianópolis com mais de 19 mil pessoas infectadas desde o início da pandemia, a fisio é oferecida gratuitamente aos moradores.

> Veja como receber as principais notícias de Santa Catarina no WhatsApp

> Professores de SC serão vacinados contra a Covid, decide governo

De graça, a prefeitura de Palhoça realiza atendimentos para reabilitação cardio pulmonar, proporcionando a retomada da vida normal do paciente após ter superado a doença.  

Como fazer a fisioterapia de graça

Para receber o tratamento, os pacientes devem procurar a Unidade Básica de Saúde mais próxima de sua residência e agendar a triagem de fisioterapia. Nessa avaliação, o fisioterapeuta coleta as informações necessárias para o processo de reabilitação e encaminha para iniciar o tratamento pós-Covid. 

> Gestantes com comorbidades voltam a ser vacinadas em SC com doses de Coronavac e Pfizer

Pacientes que continuam acamados podem receber o tratamento em casa, desde que o processo seja solicitado na UBS.

- Fazer coisas simples em casa, como pegar o pote de café no armário ou varrer, podem ser desafios grandes para quem acaba de sair de longos dias de internação no hospital. Voltar para casa depois do coronavírus é uma vitória que demanda outras lutas - explica o diretor de fisioterapia da Prefeitura de Palhoça, Leandro Pereira.

Leia também

> Após ataque em creche, SC vai colocar vigilantes em todas as escolas estaduais

> Esquecida na roda gigante de Balneário Camboriú, turista se apavorou: “Pensamos que iríamos passar a noite ali”

> Florianópolis vacina contra Covid pessoas a partir de 18 anos com comorbidades; veja calendário

Colunistas