nsc
dc

Coronavírus

"Precisamos retomar as atividades, com cuidado, sem liberar tudo", diz prefeito de Chapecó

Em live, João Rodrigues voltou a defender a autonomia para que municípios decidam sobre restrições conta Covid-19

16/04/2021 - 10h05 - Atualizada em: 16/04/2021 - 10h11

Compartilhe

Fernanda
Por Fernanda Mueller
João Rodrigues ainda citou o setor de eventos e fez uma analogia entre aulas presenciais e festas infantis
João Rodrigues ainda citou o setor de eventos e fez uma analogia entre aulas presenciais e festas infantis
(Foto: )

O prefeito de Chapecó, no Oeste de SC, João Rodrigues, voltou a defender autonomia para que municípios decidam sobre restrições contra Covid-19, durante uma live na quinta-feira (15). Com vagas disponíveis na rede de saúde, o município vive um momento mais confortável da pandemia em relação ao início do ano e passou a receber pacientes de outras regiões nas últimas semanas. 

> Saiba como receber notícias do NSC Total no WhatsApp

> Mapa de Covid em SC: veja como está a situação da pandemia por cidade

— Eu já fiz o apelo à governadora do Estado e ao governador Moisés também, de que dê liberdade para os municípios discutirem os seus decretos. Chapecó, pelo estado atual, já deveria estar na bandeira laranja. 

— O nosso hospital regional está, neste momento, com 92 pacientes na UTI e tem 103 leitos disponíveis. Dos 92, 45 são de Chapecó. Ou seja, são 50% do município. Nós não estamos na bandeira laranja, porque o hospital tem ocupação regional, mas eu acredito que semana que vem já muda esse quadro. Precisamos retomar as atividades, mas com cuidado, sem liberar tudo — declarou o prefeito. 

Chapecó foi a primeira cidade do Estado a atingir o colapso do sistema de saúde, mas, desde o dia 4 de abril, a fila de pacientes à espera por leitos de UTI Covid foi considerada zerada no Grande Oeste, segundo dados do governo do Estado.  

Conforme o boletim divulgado pela prefeitura de Chapecó nesta sexta-feira (16), o município tem 435 casos ativos de coronavírus, um total de 34.605 casos confirmados desde o início da pandemia, e soma 570 mortes.  

Durante a live, João Rodrigues também citou o setor de eventos, já que muitas pessoas que organizam festas de aniversário e casamentos fizeram um apelo para retomar as atividades, mas o prefeito destacou que o decreto do Estado não permite que os eventos sejam liberados. Ele então fez uma analogia entre aulas presenciais e festas infantis.  

— As escolas estão praticamente normais, todo mundo está indo na aula. Mas uma empresa que faz um aniversário infantil não pode promover um aniversário com 50 crianças. Então é isso que eu quero falar, sobre lógicas — disse o prefeito.

Leia também:

Covid-19 é a doença que mais causa mortes em SC em 2021

Após flagrar paciente com Covid-19 na rua, profissional de saúde de SC faz apelo em áudio

Vacinação de grupo prioritário contra Covid-19 termina em agosto de 2021, se SC mantiver atual ritmo

Colunistas