nsc
santa

Psiu!

Prefeito de Blumenau se manifestará sobre Lei do Silêncio somente após parecer jurídico

Redação final da lei deve ser aprovada no plenário de quarta-feira antes de ser encaminhada à apreciação do prefeito da cidade

15/07/2014 - 14h45 - Atualizada em: 15/07/2014 - 15h01

Compartilhe

Por Redação NSC

O Programa Silêncio Urbano (Psiu) aprovado em segunda votação na Câmara de Vereadores de Blumenau ainda precisa ter a redação final analisada antes de ser encaminhado ao gabinete do prefeito Napoleão Bernardes. A expectativa do legislativo blumenauense é avaliá-lo na sessão parlamentar de quarta-feira. Após, Napoleão tem um prazo de 30 dias para aprovar ou rejeitar o projeto. O chefe do Executivo foi procurado pela reportagem do Santa, mas preferiu manifestar-se somente após a análise da Procuradoria Jurídica do município.

- É uma ideia favorável, mas é preciso analisar todo o conteúdo do projeto. Não posso me posicionar antes da Procuradoria Jurídica - disse.

Entenda o caso

>>> Câmara de Vereadores de Blumenau aprova projeto de lei do Programa Silêncio Urbano

O fato de o projeto de lei não contemplar o uso do decibelímetro nas fiscalizações da Polícia Militar (PM) chama a atenção do presidente da OAB - subseção Blumenau, César Wolff. Na avaliação do advogado, o não uso do equipamento não gera uma inconstitucionalidade. No entanto, poderia trazer problemas à fiscalização.

- No estágio da evolução tecnológica em que vivemos, não se admite mais métodos empíricos. Os métodos científicos levam a uma maior objetividade na produção da prova. Não é plausível que se faça aferição de barulho sem um instrumento tecnológico aprovado pelo Inmetro - avaliou.

Em relação à criação do Fundo Municipal de Segurança Pública para receber as multas dos infratores, o advogado avalia que o assunto precisa de uma análise mais criteriosa.

- Os fundos municipais precisam ser muito bem avaliados. A disposição dos recursos públicos é extremamente regulamentada. É preciso uma análise para avaliar se a lei está sendo respeitada - disse o advogado.

A PM de Blumenau já teve um Fundo Municipal de Segurança Pública (Funseb), extinto por determinação do Tribunal de Justiça no início de 2013 por ser considerado inconstitucional. A Prefeitura de Blumenau já foi contatada pela reportagem do Santa e deve se manifestar ainda hoje sobre a possibilidade de aprovação do projeto de lei.

- O projeto de lei tem algumas dificuldades a serem debatidas e quem sabe suplantadas. Mas vejo com bons olhos quando o município debate uma questão que toca a sociedade - finaliza o presidente da OAB.

Colunistas