publicidade

Cotidiano
Navegue por

Alagamentos

Prefeitura analisa decretar situação de emergência após alagamentos em Joinville 

Documento é necessário para a liberação do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) aos moradores atingidos pelas chuvas

18/03/2019 - 13h39 - Atualizada em: 18/03/2019 - 14h32

Compartilhe

Gabriela
Por Gabriela Florêncio
Queda de muro na rua Cidade Arco Verde, no bairro Boehmerwald
Queda de muro na rua Cidade Arco Verde, no bairro Boehmerwald
(Foto: )

A Prefeitura de Joinville avalia decretar situação de emergência após alagamentos na última quinta e sexta-feira. O decreto precisa atender critérios técnicos estabelecidos e precisa ser reconhecido pelo governo Estadual e Federal antes da homologação.

O documento é um dos fatores necessários para a liberação do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) aos moradores atingidos pelas chuvas. Somente depois da aprovação da União é que o município poderá encaminhar a documentação para liberar o fundo.

Durante o temporal, cerca de 130 famílias foram resgatadas e encaminhadas para as casas de familiares até a água baixar. Um casal chegou a ser encaminhado ao abrigo aberto no CEI Zilda Arns Neuman, no bairro Parque Guarani, mas neste domingo, os dois decidiram retornar à moradia, localizada no bairro Petrópolis.

A Defesa Civil, com o auxilio de um geólogo, continua o mapeamento de locais atingidos e ainda das áreas de risco. Depois da vistoria, os técnicos vão emitir um parecer técnico da situação de cada local para elaborar o formulário de verificação de risco do município. A previsão é que o parecer fique pronto nos próximos dias. O documento ainda deve compor o Formulário de Informações do Desastre (Fide) que é encaminhado à União.

— Algumas residências podem ser interditadas, onde o risco geológico seja grave que precise interditar a residência — afirma João Carlos Vieira Sobrinho, agente da Defesa Civil.

Técnicos da Defesa Civil continuam monitorando áreas de risco
Técnicos da Defesa Civil continuam monitorando áreas de risco
(Foto: )

Segundo levantamento do órgão, o número de desmoronamentos chegou a 48 nesta manhã – sendo 35 deslizamentos de terra e 13 quedas de muro – registrados em seis bairros da Zona Sul da cidade. Como o solo ainda está encharcado, a Defesa Civil alerta que ainda existe a possibilidade de registro de novas ocorrências.

O órgão recomenda a nãos realizar a retirada da terra, nos casos de desmoronamento, até que o local seja avaliado para evitar acidentes. Até às 12 horas desta segunda, sete imóveis continuam interditados e três famílias foram orientadas a ir para casas de amigos e parentes.

Até às 12 horas desta segunda, sete imóveis continuam interditados e três famílias foram orientadas a ir para casas de amigos e parentes.

Deixe seu comentário:

publicidade

Navegue por
© 2018 NSC Comunicação
Navegue por
© 2018 NSC Comunicação