nsc
    dc

    Prefeitura Municipal de Florianópolis apresenta

    Prefeitura de Florianópolis lança campanha: Farra do boi não é cultura! 

    Após ótimos resultados no ano passado, Prefeitura de Florianópolis lança nova campanha, visando conscientizar a população sobre a importância de acabar com essa prática criminosa 

    05/03/2020 - 14h20 - Atualizada em: 09/03/2020 - 09h46

    Compartilhe

    Estúdio
    Por Estúdio NSC
    Farra do boi não é cultura!
    (Foto: )

    Embora a farra do boi seja considerada prática de maus-tratos, passível de punição como pagamento de multa e/ou detenção, há mais de 20 anos, pelo Superior Tribunal Federal (STF), inúmeras ocorrências são registradas todos os anos em Santa Catarina. Os casos são mais comuns no litoral e durante o período da quaresma.

    E se, mesmo proibida por lei, a farra do boi ainda não foi extinta em nosso Estado, é preciso ir além de recriminar a prática e buscar alternativas para diminuir essas ações de maus-tratos. Pensando nisso, a Prefeitura de Florianópolis lançou, pelo segundo ano consecutivo, a campanha “Farra do boi não é cultura, é tortura”, que visa conscientizar a população sobre os danos causados pelos abusos contra os animais.

    A diretora da Dibea (Diretoria do Bem-Estar Animal) destaca o caráter pioneiro dessa ação da PMF, afirmando a importância de ter órgãos da Prefeitura e o próprio prefeito engajados na causa da defesa animal.

    — Pela primeira vez na história da cidade de Florianópolis temos um prefeito se posicionando pessoalmente em relação a esse assunto. Isso permitiu a criação de campanhas como esta, contra a farra do boi, que trouxe ótimos resultados em 2019, sendo considerada um importante avanço na luta pelos direitos e pelo bem-estar animal — afirma a diretora da Dibea.

    Campanha pretende repetir os bons números de 2019

    Assim como no ano passado, a campanha “Farra do boi não é cultura, é tortura” conta com peças publicitárias como busdoor, outdoor, faixa próximo à cabeceira insular da ponte Pedro Ivo Campos, pinturas em faixas de segurança e outras intervenções artísticas em locais públicos. Além disso, está prevista a distribuição de materiais educativos da campanha.

    A intenção é conscientizar as pessoas e também estimular as denúncias. Vale ressaltar que quem denuncia eventos de farra do boi presta um serviço à comunidade e tem sua identidade resguardada.

    Em 2019, segundo informações da Polícia Militar de Santa Catarina, foram confirmados 12 casos de ações de farra do boi em Florianópolis, e apenas em uma abordagem houve confronto com farristas. Em relação a 2018, houve uma diminuição de 39% de casos confirmados. Para este ano, a ideia é, ao menos, se aproximar da redução de 40% em comparação ao último ano.

    Campanha da Prefeitura de Florianópolis busca coibir a farra
    Campanha da Prefeitura de Florianópolis busca coibir a farra
    (Foto: )

    Cooperação entre PMF e outras instituições aumenta o efetivo no combate à farra do boi

    Ações de repressão para coibir a prática também já foram planejadas e, para isso, o município contará com parceria da Polícia Militar, que já colocou à disposição recursos humanos e equipamentos de resgate de animais e conta com o apoio da equipe e do drone de monitoramento da Dibea. O drone já é utilizado como aliado na averiguação de denúncias de maus-tratos contra animais.

    Além da PM-SC, o Ministério Público, a Polícia Ambiental e a Guarda Municipal atuarão junto à PMF nas ações de conscientização e na abordagem de farrista e contenção da prática criminosa.

    Uma parceria com a Acapra (Associação de Proteção dos Animais de Santa Catarina) também foi firmada para auxiliar nos custos com os atendimentos e tratamentos de animais resgatados. A Acapra tem importante papel na luta contra a farra do boi não somente pelo trabalho realizado para que não ocorram episódios de violência, mas também pela ação frente a órgãos reguladores para que os animais resgatados sejam cuidados pela Associação, juntamente com a Dibea e colocados para adoção. A prática instituída no Estado é a de que os animais sejam abatidos após o resgate.

    Para prefeito de Florianópolis, é inadmissível que uma cidade tão bonita, avançada tecnologicamente e rica se apegue a práticas violentas e ultrapassadas. Ele destaca que a Capital catarinense é referência nacional na luta contra os maus-tratos contra animais e, por isso, é necessário agir para erradicar de vez a farra do boi, prática que deve ser enquadrada como tortura e não ser tratada como peça de nossa cultura, tão rica e variada.

    Alguns sinais indicam possível ação de farra do boi

    A população deve estar atenta a uma série de sinais que possam indicar a ocorrência de farra do boi, por exemplo: terrenos (mangueirões) sendo cercados e capinados por um grupo de pessoas (geralmente homens), grupo de pessoas andando com um boi em regiões urbanas, caminhão transportando bovinos em áreas em que geralmente não há esse tipo de transporte, e pessoas que utilizam as redes sociais para fazer apologia a esse crime.

    As denúncias podem ser anônimas e devem ser feitas pelo telefone é (48) 3229-6000 ou ligando para a Polícia Militar (190).

    (Foto: )

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Especiais Publicitários

    Colunistas